A place so full of mystery is just a puzzle to be solved
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Quarto do Maxwell

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte
AutorMensagem
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 158
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Qui Nov 16, 2017 7:25 pm

☬ Melissa sabia muito bem que só dava corda para Maxwell irritá-la ainda mais quando demonstrava seu mal-humor, mas ela era fatalmente uma pessoa de pavio curto. Aquilo era algo simplesmente difícil de controlar, mas de fato ela aprendera uma coisa ou outra sobre o rapaz com aquele curto período que tinham passados juntos. ☬

- Que honra, Demónio Número Um. - ela fez uma mesura sarcástica, bastante teatral, com a mão livre. - Só não me chame para sair, nós dois somos completamente incompatíveis. - os olhos dela estreitaram-se, se ela fosse um pouco mais ousada para o lado "puta" ofereceria seu corpo de uma vez para acabar com a palhaçada da parte dele, só que ela não era dessas. Além do mais, era bem capaz de Maxwell achar aquilo uma maravilha, e o feitiço virar contra a feiticeira. - Você continua sonhando alto demais, talvez devesse abaixar um pouco o nível.

☬ Melissa parecia ter criado um certo bloqueio com relação às habilidades mentirosas de Max, não dava para saber se ela conseguia perceber parcialmente o que o rapaz queria ou se não passava de intuição. O fato era que a única coisa que Max fazia e que a deixava "vulnerável" era a implicância, que deixava Mel irritada e querendo matá-lo. ☬


- Essa é uma boa versão de Satã. O autor desse livro deve ser um gênio. - ela inclinou um pouco a cabeça, pensando consigo mesma. - Independente de sermos o sonho de alguém ou reais, nos fodemos de qualquer jeito.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 139
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 16
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Qui Nov 16, 2017 7:51 pm

Abusar da personalidade das pessoas alheias era um dom de Maxwell, ele era muito bom para ler como cada pessoa agia e como lidar com cada uma delas, fosse para apenas mexer com elas ou manipulá-las para seus objetivos. Entretanto, com Melissa ele aparentava desejar apenas '' brincar '' que era como ele chamava quando irritava as pessoas ao seu redor, para poder descobrir mais sobre elas sem precisar se esforçar muito. A garota tinha uma personalidade forte e isto deixava tudo ainda mais interessante, pois por mais que ela tentasse lutar contra os jogos montados por ele, a natureza dela a impedia disso.

- Mas era justamente isso que eu ia fazer agora. Mas já que não está interessada, não farei o convite - Por mais que tenha dito isso, ele mantinha um sorriso em seu rosto, mantendo em incógnito se ele realmente iria chamar ela para sair ou se aquilo não passava de mais uma piada - Abaixar o nível? Não, não, eu gosto de desafios.

Por mais que adorasse jogar com o perigo e viver perto dele, certamente não era burro o suficiente para não notar quando chegava perto demais de passar do limite. Com Melissa isso era constante, a inda e vinda entre o ponto de explosão dela era parte do que deixava aquilo tão interessante, ainda assim ele não iria chegar ou passar de dito ponto, as consequências certamente não valiam a pena por mais divertidas que as reações dela fossem ser.

- É o Mark Twain, ele é o autor do maior romance americano, As Aventuras de Huckleberry Finn e também é autor de As Aventuras de Tom Sawyer. Então, sim, ele é um puta de um gênio - Maxwell era claramente um fã, por mais que demonstrasse gostar muito mais do outro livro que ele citara, O Estranho Misterioso - Ah, mas isso é um pouco óbvio. O show de merda ocorre mesmo que nós sejamos reais ou não.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 158
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Qui Nov 16, 2017 10:59 pm

- Ah, eu já tenho um pacto contigo, temos ligações o suficiente só com isso. Além do mais, você tem que sair com garotinhas boazinhas o suficiente para apagarem seu... rastro de maldade, talvez? - ela deu outro peteleco na testa dele, pondo-se de pé com um salto bem alongado. Ela sabia que ele estava brincando com ela, apesar de ser um tom bem ambíguo. - Então continue tentando, quem vai ficar frustrado vai ser você, não eu, mesmo.

☬ Ela cautelosamente pegou a pasta onde o desenho que ganhara dele estava guardado, que por algum milagre havia sobrevivido a toda a guerrinha travada por eles naquele quarto, e andou em direção a porta. ☬

- Okay, okay... nunca li nenhum deles, talvez eu devesse pegar um dia desses com alguém. - ela absteu-se de repetir a própria opinião dele de como o mundo era uma droga e um caso perdido e passou pela porta de entrada do quarto após abri-la. - Bem... eu digo que foi um desprazer invadir o seu quarto sem querer? Pois bem... vou retornar a perseguição de um outro babaca qualquer, nos vemos por ai. - Depois de andar mais alguns passos pelo corredor, ela parou, olhou por cima dos ombros e ergueu a mão com a pasta. - Ah... e valeu pelo desenho.

☬ E com essas palavras mais amigáveis que poderiam ser esperadas de Melissa Carter, Max a viu virar a esquina e partir. Mas, devido ao barulho, era de se imaginar que ela havia encontrado com seu alvo principal. E ele não ficaria nada feliz com isso. ☬
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 139
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 16
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sex Nov 17, 2017 8:28 pm

- Acho difícil existir alguém capaz de fazer isso, mas se encontrar dita pessoa te aviso. Sem falar que... garotas boazinhas não fazem bem o meu tipo - Os sorrisos de Maxwell eram algo a serem guardados e pesquisados, eram tão repletos de maldade que não parecia difícil acreditar que aquele rapaz era um demônio. Mas não, Max era um humano. E isso era ainda mais preocupante, é mais fácil apontar para um ser sobrenatural e designá-lo como o centro de toda a maldade, agora um adolescente demonstrar ser capaz de chegar ao mesmo nível do Diabo, é mais fácil rir e apontar dedos, mesmo sabendo que é o ser humano quem irá trazer o fim do mundo - Ah sim, você não vai ficar frustrada. Mas sim irritada.

Ele observou enquanto ela se levantava e caminhava até a porta, tudo isso enquanto seus lábios se mantinham fixados, formando aquele sorriso amaldiçoado. Passou sua mão por seus cabelos negros, afastando-os da frente de seu rosto, enquanto seus olhos azuis brilhavam levemente.

- Eu tenho todos aqui, se quiser emprestado algum deles, é só pedir - Ele falou, apontando para a sua prateleira. Em seguida acenou brevemente para ela, enquanto se levantava tranquilamente e dirigia-se até sua cadeira, sentando-se na mesma e girando-a, até ficar de costas para ela. Novamente acenou, antes de pegar um lápis e um papel - Ah, mas é aqui que nossas opiniões se diferem. Foi um enorme prazer conhecer você. Não há necessidade de me agradecer.

E então Melissa deixou seu quarto e Maxwell deu um sorriso do mais puro prazer, ao ouvir os barulhos vindos do corredor. Pôs-se a desenhar, com uma tranquilidade e criatividade renovada. Seu desenho no entanto, estava longe de ser um dos mais belos. Chamas circulavam e dançavam ao redor de uma única figura, no centro deste furacão infernal. Figura esta que não dava para distinguir se era homem ou mulher, mas que parecia receber aquela visão vermelha de braços abertos.

- O que me diz você, Ishmael? - Questionou Max, ao ar, ainda pintando seu desenho - Não é ela uma das pessoas mais interessantes que já conheci? It will take some weeks, nay, months... but my painting will be finished. Then, we will meet again, dear friend.*

*Tradução: Vai levar algumas semanas, ou melhor, meses... mas a minha pintura vai ser finalizada. Então, nós iremos nos encontrar novamente, querido amigo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hanna Blackwell
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 76
Data de inscrição : 06/08/2017
Idade : 18
Localização : Academia Blackwell... não, eu não sou parente do fundador nem nada do tipo.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sex Dez 15, 2017 2:53 pm

Passinhos apressados puderam ser ouvidos no corredor dos rapazes. Quem estivesse do lado de fora ficaria surpreso com a passagem de Hanna Blackwell, uma das estudantes mais amáveis daquele lugar, se não a mais. Ninguém sabia dela por um tempo, houve boatos que estava doente, algum tipo de doença que demorou pra sarar. Provavelmente só algumas pessoas nos dormitórios sabiam realmente o motivo do sumiço. E Hanna estava atrás de uma delas.

Ela passou por uma moça de corpo escultural que praguejava contra uma pretensa "vadia de olhos desiguais" e parou em frente ao quarto de Maxwell Watson. Hanna respirou profundamente, puxando e soltando o ar lentamente algumas vezes e, sem soltar a manga da blusa comprida que sempre usava, deu três toques sobre a madeira da porta, esperando que o rapaz estivesse lá dentro.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 139
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 16
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sex Dez 15, 2017 4:00 pm

Deitado em sua cama, a luz entrava pela janela e feria o rosto de Maxwell como se fosse fogo. O rapaz ergueu sua mão para tentar esconder-se do feixe de luz que adentrava, porém descobriu que estava um tanto grogue ainda de seu sono, logo a luz continuava a atingir seus olhos e fazer xingá-lo em voz alta. Levantou-se e botou o pé no chão, ao lado da garrafa de Jack Daniels vazia. Levantou-se e espreguiçou-se, ouvindo as batidas na porta. Atormentar alguém realmente cairia bem naquele momento, porém nem para isso Maxwell tinha forças. Bocejou audivelmente e começou a caminhar.

Seu quarto estava uma completa bagunça, completamente desarrumado, com desenhos rasgados e garrafas das mais variadas bebidas espalhadas por todo canto. Maxwell claramente não superara a vontade de afogar seus problemas com álcool. Normalmente, ele colocaria um sorriso malicioso em seu rosto e abriria a porta, pronto para fazer da vida da pessoa que batia um verdadeiro inferno. Porém, quando a porta finalmente abriu-se, Hanna veria um Maxwell completamente acabado, seus olhos eram os de uma pessoa que dormia pouco, sua expressão era de uma pessoa que desistira.


- Hanna? - Logo após essa pergunta, Maxwell a abraçou. Aquilo surpreendeu até o próprio rapaz, ele não era uma das pessoas que demonstrava afeição facilmente, porém ele se preocupara tanto com aquela garota que era impossível não abraçá-la.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hanna Blackwell
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 76
Data de inscrição : 06/08/2017
Idade : 18
Localização : Academia Blackwell... não, eu não sou parente do fundador nem nada do tipo.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sex Dez 15, 2017 6:22 pm

Hanna esperava muitas coisas quando o rapaz abri-se a porta (se é que realmente fosse abri-la). Max tinha uma fama de mal. Ou, no mínimo, indiferente. Algo dizia a ela que, durante todo esse tempo que estivera fora, Maxwell seria o primeiro a se recuperar daquele evento traumatizante. Ela tivera a mesma impressão de Melissa, mas a garota demonstrou sincero alívio ao vê-la também, e parecia estar passando por coisas ainda piores nos últimos dias.
Max e Mel eram fortes, ela dissera a si mesma, enquanto passava aqueles últimos dias sob o olhar atento do pai, seu apetite diminuindo gradativamente e o medo de tomar qualquer coisa aparecendo de vez em quando.
Eles ficariam bem.
Ela, por sua vez, precisara de toda a sua força de vontade para recomeçar a andar. Chegara muito, assustadoramente próxima da beira daquele abismo que jurara não pisar nunca mais. As cicatrizes em seus pulsos coçaram tanto em sinal de aviso que ela despertou a tempo de recuar.
Não... ela não chegaria àquele ponto de novo.
Assim que essa decisão fora tomada, forçou-se a devorar a comida que lhe era oferecida e a tomar tudo que o pai dava para ela. Hanna estava em casa, afinal de contas. Não havia nada a temer. Em breve, teria de encarar a realidade.
Ela ainda não sabia bem como ver Nathan. Poderiam chamá-la de idiota, mas ela não conseguia culpá-lo totalmente, mesmo depois de tudo o que passara. Entretanto, sua confiança naquele rapaz havia desaparecido totalmente. Seria difícil encará-lo de novo, e portanto ela estava evitando que esse encontro sucedesse.


Encontrara Melissa totalmente por acaso. A moça estava do lado de fora da academia, fumando como uma chaminé como sempre, quando o táxi que a trouxera até aquele lugar chegara ao estacionamento. Diante da expressão de choque mal disfarçado dela, era claro que não esperava vê-la tão cedo. Na verdade, Hanna fora avisada umas três vezes por Melissa para tomar cuidado, e ficara claro que a outra não a queria naquela cidade. Não por conta de inimizade, mas... preocupação, talvez? Havia algo muito errado ocorrendo, mas Hanna tinha muitas coisas em mente. Ela ainda precisava verificar Scott, mas a lembrança de Maxwell naquela cadeira ainda estava fresca em sua mente.

Ela decidiu por ver como ele estava antes, e rumou para o dormitório masculino. E então, deparou-se com Max naquele estado. Um estado muito próximo ao que ela própria ficara naquelas últimas semanas. Hanna não teve tempo de se surpreender, ou sequer abrir a boca para dizer algo, antes que o garoto a abraça-se. Ela por sua vez também apertou-o muito forte. Obviamente Max nunca a abraçara antes, mas ele poderia notar o quanto a garota emagrecera, embora não tivesse chegado ao estado de subnutrida ou anêmica. As sardas e o cabelo ruivo destacavam-se ainda mais na pele mais pálida que o seu normal, mas Hanna estava melhorando. Ela deixou escapar um riso nervoso, que mais parecia um choramingo, e enterrou o rosto em seu ombro.

- Max. Você está bem?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 139
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 16
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sex Dez 15, 2017 6:59 pm

Aquela aparência de Hanna o enfurecia por dentro, porém o rapaz evitou demonstrar isso, Hanna não precisava daquilo no momento. O abraço de Maxwell foi apertado e acolhedor, repleto de afeição, algo que certamente não era esperado da parte dele, uma vez que o rapaz fazia questão de esconder suas emoções e vestir uma máscara de insanidade, para fazer com que as outras pessoas se afastassem dele, acreditando que isso faria com que elas se sentissem melhor. Maxwell considerava-se uma maldição ambulante, e tendo em vista os acontecimentos que tomavam parte na presença dele, era possível notar que havia parte de razão no raciocínio do rapaz.

- Estou bem, sim - Falou Max.

Maxwell claramente não estava bem, isso era evidenciado pela sua aparência e pelo seu quarto. Antes, aquele lugar era tão arrumado que parecia impossível deixá-lo bagunçado, agora aquele quarto parecia nunca ter sido limpo uma vez. As garrafas de bebida indicavam que o alcoolismo de Maxwell não tinha planos para deixar o rapaz, e que o próprio parecia estar confortável com a ideia de mantê-lo por perto. Seus olhos azuis repousaram-se em Hanna, enquanto ele colocava suas mãos no lado do rosto da garota. Abriu um sorriso gentil para a garota.

- Eh, você quer entrar?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hanna Blackwell
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 76
Data de inscrição : 06/08/2017
Idade : 18
Localização : Academia Blackwell... não, eu não sou parente do fundador nem nada do tipo.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Ter Dez 19, 2017 1:14 am

Hanna não achava Max uma maldição, tão pouco um maníaco. Apesar de haver certas duvidas sobre ele estar vestindo uma máscara ou não desde que a conhecera, Maxwell em momento algum lhe tratara mal ou fizera-a sentir-se desconfortável propositalmente. Ela certamente era uma das poucas pessoas que não o via como um demônio, mas sim como um garoto ferido que precisava de uma mão para se reerguer.

- Você não parece muito normal, Max...
- ela piscou os olhos para ele, sua mão passando de leve pelo rosto do rapaz, como se testasse sua temperatura. Então Hanna olhou através dele, para a bagunça que era aquele quarto, muito mais caótico que o dela própria. - Eu acho que você me superou. Isso é... incrível.

Não dava para saber em que sentido aquela menina falara incrível, mas ela simplesmente soltou suas mãos de Maxwell para bater suas palmas uma na outra, inclinando-as timidamente para a esquerda.

- Você quer sair?

Dito isso, com a tranquilidade de alguém que tem todo o tempo do mundo disponível, Hanna fez uma nota mental para ajudar a dar um jeito naquele aposento. Mas isso seria mais tarde.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 139
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 16
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Ter Dez 19, 2017 1:43 pm

Nunca mais. Maxwell prometera nunca mais usar uma máscara na frente de Hanna. Ele seria honesto com ela, revelaria quem realmente era no fundo e se ela se afastasse por causa disso, que assim fosse. Porém, uma parte dele duvidava fortemente disso, ele sabia muito bem que Hanna não se afastaria. Por dois motivos. O primeiro, ela era boa demais para simplesmente abandoná-lo assim. O segundo, a verdadeira face de Maxwell era uma gentil e boa. Ele não estava em nível Hanna e Dante de bondade, porém ainda assim, uma pessoa disposta a sacrificar tudo pelo bem de outro.

- Eu estou bem, prometo - Falou Maxwell, sorrindo gentilmente logo em seguida - Isso é um elogio?

Ele deu uma pequena risada logo em seguida, de fato, o quarto de Hanna era para ser o mais bagunçado entre os dois, porém Max se superara desta vez. Noites em claro, acompanhado pelo álcool, o resultado não poderia ser outro. Ele ainda se remoía por dentro, acreditando que deveria ter notado o que estava para acontecer. Max nunca fora um de ficar chorando pelo leite derramado, porém aquilo era diferente, estava falando de algo que envolvia Hanna. Max podia estar longe de ser tão bondoso quanto Hanna, mas era justamente por isso que ele lutava para garantir que ela continuasse assim.

-  Claro. Por que não?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hanna Blackwell
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 76
Data de inscrição : 06/08/2017
Idade : 18
Localização : Academia Blackwell... não, eu não sou parente do fundador nem nada do tipo.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sab Fev 17, 2018 12:30 am

Para Hanna não importava quantas máscaras Max usasse, ela trataria-o da mesma forma. Mas é claro que, se soubesse o esforço que o rapaz estava fazendo para ser sincero com ela, certamente ficaria feliz. Afinal, aquilo não era apenas uma promessa feita à Robin. Hanna Blackwell queria ver Maxwell Watson bem, e talvez aquilo ajudasse-o a melhorar.

- Hum...
- ela moveu os olhos por todo o rosto dele, uma ruga de dúvida surgindo em sua testa. Bom... não adiantava muito insistir se ele não queria falar sobre aquilo. Hanna tirou a mão de seu rosto para depositar um beijo suave como a primavera no local. - Bem... eu diria que é uma forma de exaltar suas habilidades.

O sorriso tímido dela alargou-se um pouco mais e a garota postou-se ao lado de Max, passando delicadamente um de seus braços pelo dele e puxando-o de uma maneira muito suave em direção ao corredor.

- Ótimo. Vamos a um dos campos, vai fazer bem a nós dois pegar um pouco de sol, não é?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 139
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 16
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sab Fev 17, 2018 2:07 pm

Não haveriam mais máscaras da parte de Max, pelo menos não com ela. Ele iria revelar quem realmente era, sem precisar ficar com medo da repercussão da parte dela. E, uma boa parte de si, sabia que Hanna aceitaria aquela mudança. Porém, ele ainda precisaria de tempo para fazer essa mudança para o resto do mundo, uma vez que odiava a ideia de ficar vulnerável na frente de pessoas que não possuíam a sua confiança.

Ele piscou suavemente com aquele beijo de Hanna, um sorriso feliz cruzando seus lábios por um momento
- Bom, suponho que minhas habilidades sejam de outro nível então.

Assim que Hanna postou-se ao lado de Max, ele deu um suave beijo na cabeça da garota, sorrindo logo em seguida. Aquele era o verdadeiro Max, uma pessoa que amava demonstrar carinho e afeição para as pessoas que gostava e tratava a maioria com uma gentileza surpreendente para quem o conhecia.

- É uma boa ideia - Ele falou, conforme deixavam o local.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 158
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Dom Fev 18, 2018 6:55 pm

☬ Melissa Carter passou parte do caminho até o quarto de Maxwell xingando-o por tê-la agarrado e saído arrastando daquela maneira. De brinde, ele recebera um cascudo, mas isso não fora o suficiente para impedir que continuasse puxando-a refeitório afora, gerando comentários curiosos dos alunos que assistiam a cena. Bem... eram apenas duas pessoas problemáticas fazendo escarcéu como sempre... eles que se danassem. Na realidade, comer sem a presença daqueles dois parecia ser algo bastante satisfatório para a grande maioria do campus. ☬

- Não é "encher a cara", eu só não tenho nada melhor pra fazer. - ela retrucou, olhando fixamente para a porta do quarto. Era perceptível a marca que o pé dela fizera no dia em que entrara ali pela primeira vez e conhecera Max. Melissa não sabia se achava isso divertido ou amaldiçoava sua própria invasão feita no lugar errado. - Além disso... preciso beber pra esquecer essa manhã.

☬ Ela ainda não especificara o que acontecera na dita "manhã", mas considerando as marcas em seus braços e seu estado mais instável que o normal, não parecia ter sido das melhores. Metodicamente, ela tirou um cigarro do bolso da jaqueta e colocou-o entre os dentes, sem chegar a acendê-lo. Sua cabeça fez um suave gesto em direção a marca na porta. ☬

- Em vez de flertar comigo, seria conveniente dar um jeito na sua própria porta, essa marca já está aqui a séculos. Ou você acha agradável a ideia de ter a sola do meu sapato como troféu?

☬ Mel não dissera nada sobre a ameaça de espancamento a Nathan, até porque ela faria o mesmo. A ideia até lhe dava uma sensação de satisfação. Entretanto, repassando mais uma vez o assunto anterior por sua mente, os braços cruzaram-se enquanto ela mordia a ponta do cigarro para mantê-lo nos lábios, resmungando em seguida, de uma maneira pouco inteligível. ☬

- Considerando nossa sorte, é sempre bom prevenir do que remediar. Talvez você devesse ficar longe do moleque novo... ele pode até não ser má pessoa, mas nunca dá pra saber com quem essa gente anda.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 139
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 16
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Dom Fev 18, 2018 7:09 pm

Claro que iriam atrair olhares, ambos eram conhecidos por serem problemáticos e quando viram os dois juntos, os outros alunos esperaram uma explosão ou algo tão catastrófico quanto. Mas é claro, não chegou a acontecer, uma vez que retiraram-se do lugar para irem afogar suas emoções na base de Jack Daniels, que era a única bebida que Maxwell tomava. Ali estava uma boa pergunta, de onde o rapaz tirava todo aquele dinheiro para comprar aquelas bebidas caras?

- Não tem nada melhor para fazer, aí decidiu encher a cara - Ele provocou, com um sorriso em seus lábios. Ele não julgava Melissa, ele bebia para esquecer com tanta frequência que era uma surpresa ele não viver andando bêbado pelos corredores da academia - Precisamos, minha querida Mel, precisamos...

Ele abriu a porta do quarto, revelando um ambiente que Melissa já conhecia. Ele estava um pouco mais bagunçado do que o normal, havia alguns desenhos rasgados e uma garrafa de Jack Daniels vazia no chão. Ainda assim, não estava em um estado parecido com o que ficaria dali alguns dias.

- Eu acho agradável a ideia de ter essa marca na minha porta. E de flertar com você também - Sorriu Maxwell, de canto, adentrando o quarto e puxando uma caixa de isopor azul debaixo de sua cama, abrindo a mesma logo em seguida. Gelo, muito, mas muito gelo. E algumas garrafas de Jack, junto de alguns copos que estavam igualmente gelados. Ele passou uma garrafa inteira para Melissa, ela parecia estar precisando tomar algo direto do gargalo e não no copo - Não acho que ele vá ser um problema, mas se for eu me afasto. Obrigado por se preocupar comigo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 158
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Dom Fev 18, 2018 9:52 pm

☬ Melissa não se questionava como Max pagava por todas aquelas bebidas, aquilo não era de sua conta, nem sequer a interessava. O que importava é que ele as tinha - pelo visto, a caixa estava frequentemente cheia - e que se afogar em álcool pela primeira vez não lhe pareceu algo bastante idiota a se fazer. Ela era uma garota forte, afinal, mas até as pessoas mais fortes do mundo fraquejavam de vez em quando. E encher a cara parecia menos pior do que começar a usar drogas mais pesadas que seu cigarro e morrer de overdose eventualmente. ☬

- Eu não sou como você, me pergunto com tanta bebida que você consume, como ainda não caiu pelos corredores. - ela ergueu uma das mãos para dar um peteleco no meio da testa dele e suspirou em seguida. - E como precisamos...

☬ Assim que adentrou o aposento, Melissa percebeu a bagunça... não que fosse algo relevante, mas comparado ao ambiente perfeitamente organizado e limpo, digno de uma pessoa com toc, que Maxwell mantinha no próprio quarto antes, aquela garrafa e os papéis rasgados chamavam a atenção. Ela agachou-se para pegar alguns dos pedaços de papel e tentou uni-los para entender o que formavam, sem muito sucesso. ☬

- Você não deveria descontar a raiva nos desenhos, eles não te fizeram nada. - uma ruga de estresse despontou na cabeça dela automaticamente a seguir. - Você pode continuar tentando, não significa que vai conseguir alguma coisa.

☬ Sentando-se na mesma cadeira onde passara a maior parte do tempo em que estivera naquele recinto da última vez, Mel abandonou os papéis e estendeu uma das mãos para pegar a garrafa que lhe era estendida, enquanto com a outra retirava o cigarro de sua boca para guardá-lo no bolso da jaqueta novamente. Ela destampou a garrafa com agilidade e virou-a para tomar um longo gole, deixando escapar um suspiro quando por fim endireitou a cabeça e tirou o gargalo de seus lábios. ☬

- Maxwell Watson agradecendo de tanto bom grado, quem é você, um extraterrestre? - ela piscou um dos olhos, havia notado que Max estava um pouco diferente... mas certamente isso era devido ao sequestro, ou qualquer outra situação que tenha ocorrido após. - Não é nada... afinal, nós temos um pacto.

☬ Afinal, Max jamais admitia que tinha amigos, ou que poderia tê-los... não quando Mel o conhecera, pelo menos. E era um fato que ela se preocupava o bastante para dar aqueles conselhos, caso contrários simplesmente daria de ombros e não estaria ali, e sim no bar da cidade bebendo por lá. Independente dele ter sido o gatilho para toda aquela situação desagradável com Nathan. ☬
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 139
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 16
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Dom Fev 18, 2018 10:43 pm

- Eu tenho muito auto controle, mesmo quando bêbado - Falou Max, deixando de fora que seu auto controle significava cair na cama completamente embriagado e dormir ali mesmo, para no outro dia acordar com uma dor de cabeça tão grande que seria impossível ele superá-la em outro momento. Mas, como tudo na vida é uma surpresa, Maxwell sempre conseguia uma dor de cabeça ainda maior - Entre no mundo dos alcoolistas.

Aqueles papéis que Melissa tentava juntar possuíam um certo padrão, apesar de não fazerem muito sentido. Era claro que algo ali era para representar fogo, muito fogo, mas a ordem em que ele estava desenhado, em uma enorme espiral, não fazia o menor sentido. E um dos papéis possuía o que parecia ser o topo da cabeça de uma pessoa, mas nem mesmo isso era facilmente discernível. Bastava dizer que Maxwell fizera um bom trabalho em destruir suas obras de artes.


- Foi só esse que eu rasguei... - Murmurou o rapaz. Ele parecia estar falando a verdade, mas o número de pedaços espalhados por ali sugeria que ele fizera aquilo com muita raiva e com muita vontade de sumir com o dito desenho - Uma hora ou outra eu consigo algo.

Ele puxou uma garrafa de Jack Daniels para si mesmo e abriu a tampa, rapidamente tomando um gole e sentindo aquele gosto que ele amava descer pela sua garganta. Assim que tirou o bico da garrafa de sua boca, ele soltou um suspiro de prazer e sorriu logo em seguida. A bebida não era necessariamente forte em gosto, mas não precisava de muito daquilo para que alguém ficasse bêbado. Na verdade, justamente pelo gosto ser bom era que as pessoas acabavam bebendo mais do que deviam.


- Sim... um pacto - Falou Max, que tinha completamente esquecido que utilizara aquela palavra para definir sua amizade com Melissa. Ou melhor dizendo, seu relacionamento com Melissa. Tomou mais um curto gole da Jack antes de voltar seus olhos azuis para a garota, observando-a em silêncio por alguns instantes. Um silêncio necessário, uma vez que ambos ali não gostavam muito de conversa fiada ou de assuntos sem sentido. Depois de um tempo, Maxwell quebrou aquele silêncio que ele mesmo impusera no local - Então, o que fez com o desenho que eu lhe dei? Está preso no armário?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 158
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Dom Fev 18, 2018 11:24 pm

- Eu tenha minhas dúvidas sobre isso... muito embora nunca tenha te visto bêbado de fato. - ela coçou o queixo, erguendo momentaneamente a cabeça e depois fazendo uma careta de desgosto. - E eu lá tenho cara de quem fica afogando as mágoas na bebida?

☬ Melissa preferiu não insistir com o assunto do desenho, afinal parecia algo que o deixara bastante irritado, para tê-lo espalhado pelo quarto todo enquanto o picava. Ainda assim, ela se esforçou para capturar os pedaços em seu campo de visão e tacá-los apaticamente na lixeira do local. Com a quantidade de papel que tinha, ela poderia facilmente juntar uma bola e usá-la como uma cesta de basquete. ☬

- Eu não sei se você é muito teimoso, muito irritante ou muito idiota. Provavelmente uma mistura desses três. - aquele gosto era bom. Por mais que ela dissesse que não ia afogar suas mágoas em bebida, o sabor daquela em especial poderia facilmente fazê-la perder a linha. Só que a cabeça de Melissa estava preocupada demais com outras coisas para notar - ou sequer lembrar-se - que deveria beber com parcimónia e voltar para o próprio quarto perfeitamente sóbria.

☬ O silêncio desceu sobre ambos, enquanto lentamente a garota ia esvaziando a garrafa de Jack Daniels. Quando finalmente Max voltou a falar, Melissa tinha dado cabo de noventa por cento da bebida, sobrando apenas um resto. Ela estreitou os olhos, como se tentasse se lembrar de onde havia deixado o desenho - provavelmente um efeito adiantado da quantidade de álcool que acabara de ingerir. ☬


- Hummm... aquilo foi... - apoiando o gargalo da garrafa contra a testa, ela fechou os olhos, forçando seu cérebro a funcionar novamente com muito esforço, xingando alguns palavrões no processo. - Não. Não deixamos esse tipo de coisa nos armários, todo retardado sabe que eles acabam totalmente rasgados assim. - afastando novamente a bebida do rosto, Mel endireitou as costas e reabriu os olhos. - Está emoldurado e sobre o meu criado-mudo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 139
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 16
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Dom Fev 18, 2018 11:43 pm

- Bom, talvez isso venha a mudar hoje. Porque eu vou beber - Ele falou, e pelo tom de voz que ele usou, ficou claro que ele não iria se contentar com apenas uma garrafa. Coma alcoólico era apenas uma certeza naquele momento, uma vez que o rapaz bebia tanto que seu fígado deveria estar chorando só de notar que mais bebida estava por vir - Não. Mas logo você vai ver como isso é bom.

Aquele fora o desenho que ele fizera assim que Melissa saíra de seu quarto, da última vez. Um desenho ligado diretamente com uma antiga promessa que ele fizera, quando ainda estava acorrentado a uma mesa, sem a menor ideia de quando seria liberto. Agora aquilo não importava mais, por mais que odiasse quebrar promessas, aquela poderia ir para o inferno pois ele já não tinha a menor ideia do que fazer para se manter fiel a ela.


- Certamente uma mistura dos três.

Ele acompanhou Melissa em seu processo, porém ele esvaziou completamente sua garrafa, logo pegando mais uma da caixa de isopor e abrindo a mesma no processo. Já não era mais para afogar seus problemas naquele gosto tão delicioso, era mais pelo puro prazer de tomar aquela bebida. Tomou um curto gole antes de voltar a falar com ela.

- Que bom que não está no armário - Falou Max, com um sorriso, tomando mais um gole. Ele podia ser forte para bebidas e não duvidava que Melissa também tivesse suas resistências, mas uma garrafa inteira de Jack Daniels e mais um pouco era forçar a barra. Forçar muiiiito a barra. Ele abriu um sorriso feliz quando Melissa falou e levantou-se da cama, cambaleando um pouco conforme caminhava na direção dela, ele estava muito feliz - Eu pensei que você ia jogar fora!

Ele se encurvou um pouco para dar um, muito falho, abraço em Melissa, esfregando seu rosto contra o dela e rindo no processo.


- A maioria das pessoas se livram dos meus desenhos - Ele afastou-se e deu um beijo na testa dela - Você é uma linda.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 158
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Seg Fev 19, 2018 1:04 am

☬ Melissa revirou os olhos. Quando estava com Maxwell essa era uma reação bastante frequente, ela se perguntava se os nervos que os ligavam ao cérebro não estariam ficando gastos desde que conhecera Max. Uma de suas sobrancelhas ergueu-se e ela inclinou a cabeça, desdenhando profundamente daquilo. ☬

- O que tem de bom em arranjar uma ressaca muito forte no dia seguinte? - já acomodada, seu corpo havia assumido uma posição bastante relaxada, com as pernas abertas e os antebraços apoiados em suas coxas. - Você não presta.

☬ Por fim, ela ergueu a garrafa para tomar o último gole da mesma e apoiou-a no chão ao lado de sua cadeira. Em seguida, sua mão moveu-se sozinha num gesto para capturar uma segunda garrafa na caixa. Diabos... como aquilo tinha um gosto bom. Ela abriu a segunda garrafa e tomou mais um pouco da bebida, uma gota escorrendo por seu queixo, passando pelo pescoço e desaparecendo por entre seus seios sem que se desse muita conta. ☬

- Eu não ia jogar algo assim fora. É... - ela apoiou a garrafa semi-cheia no chão ao lado da primeira, sua cabeça pendendo um pouco. Um rubor alcoólico surgiu em suas bochechas, enquanto lutava para formar uma frase condizente. Quando fora que bebera tanto de uma só vez e tão rápido antes? Aquilo era ridículo... Melissa deveria ter uma resistência decente para bebidas, mas estava parecendo uma adolescente lidando com seu primeiro porre. - É muito bonito.

☬ Ela notou Max vindo em sua direção e no momento seguinte já estava sendo abraçada e sentindo o rosto dele roçar contra o seu. A pele dela estava bastante quente... na verdade, Melissa estava morrendo de calor naquele momento, e a aproximação do outro apenas fez com que a sensação triplicasse de intensidade. ☬

- Que tipo de pessoas idiotas são ess... ei, qual é o seu problema? Você está perto de mais e... - outra pausa, muito longa, acarretada pelo beijo em sua testa. - Porra... como está quente... - sua mão tateou o rosto dele no que normalmente seria uma tentativa de afastá-lo, mas que acabou terminando como um gesto estranhamente carinhoso. - Merda... acho que bebi demais, você está começando a parecer atraente.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 139
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 16
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Seg Fev 19, 2018 1:24 am

- A sensação de liberdade que eu vou ter hoje? - Ele sugeriu, erguendo uma de suas sobrancelhas e abrindo um sorriso claramente divertido ali. Não havia vantagem alguma em ficar bêbado, mas certamente trazia uma sensação boa no momento e horas e mais horas de arrependimento no dia seguinte. Mas com o arrependimento Maxwell estava acostumado, então o que era um pouco mais daquele sentimento em sua vida? - Claro que não presto.

Assim que ela virou o último gole, Maxwell sorriu e assentiu. Ele gostava de ver outras pessoas bebendo, fazia ele notar que não estava sozinho naquele show de merda. Ele observou conforme aquela gota da bebida descia pelo corpo de Melissa. Uma parte de si desejou lamber aquilo, sob a desculpa de não desperdiçar nada. Mas ainda estava são o suficiente para saber que se fizesse isso sairia daquele quarto em um caixão.

- Eu sei. Quando eu... quando eu... Quando. Eu - As duas palavras foram pontuadas com um sinal de ''ok'' com a mão sendo feito de uma maneira um tanto irritada da parte do rapaz. A bebida batia rápido, somada com a frustração, o estresse e vários outros sentimentos que borbulhavam dentro dele, não era nenhuma surpresa que Maxwell fosse ficar alterado - Quando eu quero eu consigo desenhar bem... A modelo ajudou muito também.

Ele deu o seu melhor sorriso sedutor, ou o melhor que conseguia, depois daquela frase e deu uma gargalhada logo em seguida notando o quão ridícula era aquela cantada. Era algo tão previsível e tão clichê que ele não se aguentou. Mas a risada morreu alguns momentos depois, quando se aproximou para abraçar Melissa. Céus, ele já havia notado antes mas naquele dia ela estava excepcionalmente bonita. Por algum motivo.

- Quente... sim, muito... quente - Murmurou Maxwell, abraçado a Melissa. Ele parou por alguns momentos para observar o rosto dela, esforçando-se para tentar manter sua visão focada. Um sorriso abriu-se - Mel, eu sou atraente. E você... você também é. Já te chamei de linda? Porque você é muito linda e... - Ele começou a se aproximar um pouco mais dela - Eu acho que vou beijar você como se não houvesse amanhã.

Dito e feito. Ele nem mesmo esperou a resposta da garota. Sabia que poderia apanhar dela naquele momento, mas foda-se. Ele estava bêbado e ela estava muito bonita naquele momento. E normalmente ela já era linda. O beijo de Maxwell começou um tanto desajeitado, mas logo os instintos do rapaz responderam e aquele beijo melhorou. Mesmo que não houvesse resposta da parte de Melissa, ele a beijou profundamente, deixando sua língua dançar dentro da boca dela. Havia desejo ali. Muito desejo. Desejo e tesão, pois aquele era Maxwell Watson e ele sempre tinha um jeito de deixar as coisas ainda mais pervertidas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 158
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Seg Fev 19, 2018 10:44 am

- Correr numa moto é mais liberta... - ela parou no meio de sua argumentação, um calafrio percorrendo sua espinha quando lembrou-se do passeio na Hayabusa. Na realidade, do que aconteceu após isso. Ela mordeu o lábio inferior e desviou o olhar para a lixeira, os longos dedos percorrendo momentaneamente seus braços feridos. - Você só deve entrar em um coma alcoólico desse jeito. Deveria negar de vez em quando, está tirando a minha graça de zombar de você.

☬ Mais um suspiro surgiu de seus lábios. Seus olhos voltaram-se para ele, enquanto tentava ridiculamente dizer palavras coerentes. Sem conseguir se conter, Melissa agarrou o próprio estômago com as mãos e começou a gargalhar. Desse jeito, com a expressão suavizada por conta da bebida e o suave rubor, ela estava realmente mais linda que o normal. Parecia uma adolescente comum, não uma encrenqueira de má fama que queimava as pessoas quando chegavam muito perto dela. Não que Mel não fosse naturalmente bonita, mas esse detalhe sempre passava despercebido quando ela abria a boca para xingar alguém ou ameaçava os outros de morte.
Não era uma novidade que no auge de sua bebedeira Max se sentisse atraído. Assim como vice-versa. ☬

- Não é para tanto... - ela finalmente parou de rir, sentindo o abraço dele em seguida. A própria Mel admitira que ele era bonito em outra ocasião, mas o comentário não tinha nenhuma carga de interesse. Max de fato tinha uma beleza impactante, muito disso relacionado aos olhos azuis maliciosos. Normalmente, Mel não levava os flertes dele a sério, portanto nunca poderia imaginar estar atraída por aquele rapaz. Mas, com o Jack nublando seus pensamentos e a proximidade entre os dois praticamente nula, aqueles olhos eram como buracos negros. - Ah... você tem olhos realmente... lindos... e uma boca...

☬ Os olhos dela conseguiram finalmente desprender-se dos dele para cravarem-se em sua boca. A dela própria estava entreaberta, como se sentisse certa dificuldade de respirar, talvez devido ao calor que sentia. Tão quente... ela queria livrar-se das próprias roupas, e se seu subconsciente estivesse preocupado em trazê-la de volta a razão, Melissa não escutou. ☬

- Ela deve ser... deliciosa. - a respiração mais profunda bateu contra o rosto dele. - Você... só está tentando... me importunar, não é? - seus lábios chegaram ainda mais perto de Max, aquela parca tentativa de retomar a uma situação comum entre ambos perdendo-se totalmente com as palavras seguintes dele. - Talvez você deva... me beijar até amanhã.

☬ Não houve recuo da parte dela quando seus lábios se encontraram. Apesar de ter começado desajeitado o beijo logo começara a ferver em ambos. Quando sentiu a lingua invadir a boca dela e contornou-a com a sua própria, sentindo o gosto da bebida no hálito dele, Mel retesou-se, suas mãos subindo para agarrá-lo pela nuca e mantê-lo perto de si.
Ele estava tão quente... o contato era... tão bom.
Era de se esperar que Melissa fizesse o que prometera da última vez, quando Max alegara que a beijaria: arrancaria seus lábios a dentadas, ela dissera. De fato, quando o beijo tornou-se voluptuoso o suficiente e a garota interrompeu-o, seus dentes pararam no lábio inferior dele, numa mordida. Entretanto, não foi tão forte quanto o que era esperado. Eles deslizaram por toda a extensão da carne capturada entre eles até que o contato entre os lábios se quebrasse, mas não fizeram pressão alguma a mais que isso. ☬

- Tão doce... você tem... você tem um gosto bom, Max. - as palavras partiram um pouco enroladas de sua boca, junto a respiração descompassada. Ela chegou mais perto novamente, a língua passando com suavidade pelos lábios dele novamente, como se provasse um sorvete ou algo similar. - Ah... eu quero provar mais.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 139
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 16
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Seg Fev 19, 2018 1:12 pm

- Coma alcoólico me soa bem. E para que negar, se é a verdade?

Ele gostou muito de ver Melissa rir, mesmo que fosse as suas custas. Na verdade, ele não se importava nem um pouco em ser usado para fazê-la gargalhar daquela maneira, pois ter como observar uma pessoa tão esquentada quanto Melissa poder simplesmente se soltar daquela maneira era uma coisa muito boa. No fundo, bem no fundo, Maxwell se importava com todos ao seu redor, sempre se preocupando com o bem estar deles, e quando era uma pessoa que ele gostava a preocupação apenas dobrava. É claro, ele nunca demonstrava isso, Maxwell aprendera muito cedo que demonstrar o que sente pode acarretar em pessoas tentarem abusar disso. Não que ele fosse se importar se Melissa abusasse dele...

- É para tanto sim. Tem... tem uma palavra que define você - Ele nunca falara isso em voz alta, mas Melissa deveria ser uma das pessoas mais atraentes que ele já vira. Não só pela beleza em si, mas sim por aquela personalidade forte que ela possuía, sempre falando o que pensava, batendo em quem não gostava, xingando... Maxwell realmente adorava uma bad girl. Mas aquilo ia para uma nova extensão, pois ele considerava Melissa uma amiga e o rapaz tinha dificuldade em sentir atração por amigas. Mas céus ele estava disposto a abrir uma exceção para Melissa - Você... olha só esse cabelo... esses... esses olhos... puta que pariu você é muito linda.

Ele sentia aquela observação dela, enquanto ele próprio fazia com que seus olhos dançassem por Melissa. Ele, pessoalmente, adorava aqueles olhos dela, tão repletos de fúria que era como se ela fosse matá-lo com um único olhar. Havia algo de atraente nisso, muito atraente. Maxwell podia deixar-se afundar naquela raiva dela o dia inteiro e ficaria extremamente feliz com isso. Aquilo não era, e estava muito longe de ser, amor. Era mais atração, aquela vontade adolescente.


- Vem... vem aqui e prove ela - Ele sentiu conforme a respiração dela batia contra seu rosto, aquele cheiro de Jack Daniels invadindo o quarto e nublando totalmente seus pensamentos - Sempre - Maxwell nem estivera tentando criar uma situação normal ali, onde pudessem apenas conversar como amigos e lamentar-se dos eventos que ocorreram nos últimos dias. Não, agora ele queria - Só até amanhã? Muito pouco tempo.

As mãos de Maxwell foram diretamente para a cintura de Melissa, forçando-a a levantar-se daquela cadeira e ficar em pé com ele, retos. Ele a puxou ainda mais para perto, aprofundando aquele beijo e colando os dois corpos. Estava chovendo do lado de fora, mas havia um enorme calor percorrendo o corpo de Maxwell. Por algum motivo, aquele gosto de bebida que havia na boca de ambos não era um incômodo para Max, como normalmente seria para outras pessoas, e o motivo não era o gosto ser bom. Era por aquilo ser ainda mais estimulante para ele.
Haviam pessoas dos mais variados tipos, algumas gostavam de umas coisas e outras gostavam de outras. Algumas possuam resistências para algumas coisas que para outras eram fraquezas. E se Maxwell Watson tinha uma fraqueza que se destacava entre as suas várias, essa era a de ser mordido. Tinha alguma coisa em ter os dentes de uma pessoa cravados em sua pele que o excitava a um nível acima do normal, portanto não era nenhuma surpresa ele ter soltado um pequeno gemido de prazer quando Melissa mordeu seu lábio. Soltou uma leve risadinha logo em seguida, quando o contato foi quebrado.


- Você é absolutamente deliciosa - Olha só, uma frase que saiu sem que ele ficasse se atrapalhando com as próprias palavras. Aquele beijo fora bom. Apesar de ambos estarem bêbados e, por consequência, um pouco atrapalhados aquilo fora extremamente bom. Maxwell fazia questão de manter Melissa colada contra si, apenas para sentir o corpo dela - Vem aqui.

Beijou-a mais uma vez, tão profundamente quanto da primeira, e girou. Deu alguns passos, levando-a consigo, e caiu na cama por cima dela. De alguma maneira ele conseguiu evitar a garrafa de Jack que havia deixado no chão. Sorte, pois ela teria caído, quebrado e esparramado toda aquela deliciosa bebida no chão. As mãos de Max subiram, parando na gola da camiseta de Melissa, enquanto continuava a beijar aquela garota. Aquela garota tão deliciosa.

- Eu vou rasgar isso aqui - Como antes, quando ele falara que ia beijá-la. Dito e feito. Sem dar tempo para Mel protestar, ele rasgou a roupa dela, quase totalmente. O que agora parecia era uma camiseta com a maior gola V do mundo, com o rasgo parando momentos antes do final da camiseta. Bom o suficiente para ele, pois havia exposto o que ele queria ver. A gota que antes escorrera pelo queixo de Mel e se perdera entre os seios dela estava ali, havia parado um pouco antes do seio direito. Claro, agora já havia misturado-se com a fábrica da roupa da garota, mas o rastro ainda estava ali. E era isso que importava. Maxwell nunca fora um de desperdiçar bebida. Ele lambeu Melissa. Começando pelo topo do seio direito, que nem exposto fora, ele seguiu todo aquele rastro da gota, passando pelo pescoço dela, subindo até o queixo e voltando para aqueles tentadores lábios dela, onde ele voltou a beijá-la profundamente - Mais...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 158
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Seg Fev 19, 2018 4:05 pm

- Pra me dar algum tipo de satisfação, talvez? Já que você é uma pessoa tão preocupada em satisfazer os outros, como um bom demônio.

☬ Ela nem sequer se deu conta do duplo sentido da frase. Na verdade, Melissa já estava perdida desde que adentrara aquele quarto, ela apenas não se dera conta disso. A garota era a prova viva de que muitas coisas juntas poderiam influenciar bastante uma atitude inusual... principalmente porque, agora, de alguma forma havia caído no flerte de Maxwell Watson. E estava, aparentemente, provocando-o também. ☬

- Você consegue... pensar em uma palavra além... além de linda, é? - outra risada nervosa. Aqueles olhos sobre ela estavam deixando-a animada. Mel não era virgem, tão pouco uma daquelas garotas com bastante experiência em sexo. Ela havia entrado em uma amizade colorida a alguns anos antes, com o líder da gangue que costumava fazer parte. Fora apenas química. Não havia nenhum traço de amor no ocorrido, nem tampouco uma amizade tão forte como deveria, descobrira mais tarde. Bom... ao menos havia respeito. - Parece que não... Eu vou... dividir um segredo com você. Você está... absolutamente sexy hoje.

☬ Ela decidira que não se envolveria com pessoas que eram suas amigas daquela forma, afinal de contas não era tão desesperada por sexo assim. Era algo bom, é claro. Bastante prazeroso, mas estava longe de tornar-se uma necessidade vital. Ela passava muito bem sem aquilo.
Então, por que estava sentindo-se tão atraída por Max naquele momento especial? A culpa mais plausível envolvia a quantidade de álcool em sua corrente sanguínea. É claro que, de alguma forma, aquilo havia atiçado totalmente uma química que antes passara totalmente despercebida. Definitivamente, aquilo nunca seria amor. Não que Melissa fosse indiferente a Max... ela amava seus amigos, é claro, de uma forma não romântica e protetora, afinal eram os únicos que possuía. Isso era algo que dificilmente admitiria, também. ☬

☬ Melissa beijou-o com fervor, enquanto era erguida, seus corpos diminuindo totalmente o espaço e tornando o ambiente ainda mais abafado para ela. Ela estava obviamente sofrendo com o frio no refeitório, mas a sensação havia evaporado e dado lugar a algo bem mais quente e intenso. Havia fogo percorrendo cada centímetro do corpo dela, um desejo cego por mais beijos suspirando por seus poros. O gemido de prazer de Max atiçou algo dentro dela, fazendo-a perder gradativamente o que sobrava de bom senso. ☬


- Ahh... que se dane. - ela disse, por entre os lábios, não uma resposta ao elogio voluptuoso dele, mas sim aquela mínima parte do seu cérebro que lutava para ser percebida novamente. Uma das mãos dela percorreu o abdomem de Max, esgueirando-se por debaixo de sua blusa e tocando diretamente sua pele, sentindo mais próximo o calor que vinha dele. - Acho... que somos dois...

☬ Ela nem sequer respondeu, sua boca ocupada com a dele, a concentração focada nos toques que suas linguas faziam, as vezes entre si, outras contra os lábios. Melissa deixou-se cair, não se importando de estar por baixo dele sobre aquele colchão. Sua camisa foi rasgada e a única reação dela foi deixar um cicio passar por seus lábios agora desocupados, lançando-lhe o resquício daquela personalidade forte dela em um olhar afiado. Um de seus pés parou a aproximação dele sendo pressionado contra a sua barriga. ☬

- Você vai ter que me arranjar outra. - entretanto, no minuto seguinte, sua perna desceu novamente, permitindo que Max se aproximasse. Ela sabia o que aconteceria ao ver para onde seus olhos se focavam, mas quando a lingua dele tocou seu seio por sobre o sutiã e percorreu sua pele, um gemido involuntário seguiu-se. Ela desejava que ele lambe-se mais lugares daquele jeito. Quando suas bocas se encontraram novamente, Melissa agarrou a barra da camisa dele e puxou, causando um rasgo de fora a fora nela, abrindo-a totalmente na região do peito. Agora, ele poderia livrar-se dela facilmente junto a jaqueta preta que usava. As mãos de Mel tocaram novamente a pele dele, trazendo-o mais para perto, sua boca deixando a dele momentaneamente para morder seu pescoço. - Ei, Max...

☬ A mordida de repente tornou-se um beijo longo. Meu sugou a pele dele, deixando uma marca roxa no local. Sua cabeça foi para trás novamente, de maneira que seus olhos escuros reencontrassem os dele. Ambas as suas mãos agora seguravam-no pela cintura, como se estivesse na duvida se o trazia mais para perto de novo ou o afastava, muito embora ficasse óbvio o que ela escolheria. ☬

- Provavelmente eu vou... matá-lo por isso amanhã... - ela moveu a cabeça para que sua boca chegasse próxima da dele outra vez. De maneira que, quando disse as palavras seguintes, seus lábios roçassem. - Ah... fuck-me, Max.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 139
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 16
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Seg Fev 19, 2018 4:45 pm

+18:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 158
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Seg Fev 19, 2018 9:44 pm

+18:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Quarto do Maxwell
Voltar ao Topo 
Página 6 de 7Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte
 Tópicos similares
-
» Teoria-Quarto Haki(tem spoilers)
» Quarto do Orion
» Quarto de Percy
» A (Quarto Raikage)
» Uma noite como outra qualquer

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Windfall City :: Dormitórios :: Dormitório Masculino-
Ir para: