A place so full of mystery is just a puzzle to be solved
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Quarto do Maxwell

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6 ... 11, 12, 13  Seguinte
AutorMensagem
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 257
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 18
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Qua Set 27, 2017 1:24 pm

- Não posso mudar minha natureza, não é mesmo? - O rapaz riu para Melissa, desfazendo aquele pequeno gesto carinhoso que fizera para ela, trazendo suas mãos para trás de sua cabeça e juntando-as ali, enquanto dava um pequeno sorriso para ela - Sim, eu sou um babaca. Nós já não havíamos definido isso?

Maxwell, que estava deitado calmamente em sua cama, sentou-se na mesma e arrastou-se até a borda para ficar um pouco mais próximo de Melissa, tudo isso enquanto trazia um sorriso provocativo em seu rosto. Quem sabe ela realmente estava certa e Maxwell era louco o suficiente a ponto de tentar algo com ela. Aquele sorriso custava deixar seu rosto, enquanto o rapaz inclinava-se um pouco para frente. Ainda havia uma boa distância entre eles, mas agora ambos estavam próximos o suficiente para fazer algo. No caso de Melissa, esse algo provavelmente seria destrutivo.

- Eu acho que vale o risco.

Agora que estava mais próximo, Melissa poderia notar nos olhos de Maxwell algo que escondia-se lá no fundo. Ela poderia reconhecer que ele era um homem quebrado, então era um tanto óbvio que ele iria se aproximar e irritá-la. Max havia desistido desde que sua mãe tirara sua própria vida, ele só estava ali ainda para causar o máximo de dano possível. Bom, pelo menos era isso que ele falava para si mesmo toda vez que acordava.

- Pega - Ele falou, pegando uma garrafa ainda fechada daquela caixa e passando para ela. Tomou mais um gole de sua própria bebida, enquanto ela falava, e apenas assentiu - Normalmente é assim. Você se arrepende antes e depois se arrepende mais ainda. Sei bem como é.

Ele riu um pouco da fala de Melissa, de fato, era estranho que ele que dizia ser um demônio em pele de humano ansiar por um mundo perfeito. Mas ainda assim, era um profundo desejo dele, poder presenciar a perfeição pelo menos uma única vez. Max acreditava que já tinha visto o pior lado do mundo, então nada mais justo do que ele poder ter um vislumbre do lado bom também, não é mesmo? Era justamente por isso que nunca afastava as pessoas boas que aproximavam-se dele, para poder ver o que é esse lado puro do mundo.

- Bom, se você for pensar, um mundo perfeito seria... bem, perfeito para mim. Assim eu poderia corrompê-lo, não? - Ele falou, desviando-se daquela discrepância - Calma, calma. Não é como se eu fosse pedir o seu corpo nu. É um favor, por um favor, simples assim.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 316
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sex Set 29, 2017 12:59 am

- Mesmo se você quisesse você não conseguiria isso. - A garota revirou os olhos, era de se esperar aquele tipo de resposta. Sendo ele Maxwell, sua intensão parecia sempre ser importuná-la. - Oh, definimos, mas é sempre bom relembrar para reavivar a memória, sabe como é.

☬ A garota não fez mais que olhar metodicamente enquanto ele se aproximava. Outra pessoa teria ficado envergonhada, ou teria gritado e se afastado, ou talvez quisesse se aproximar outro tanto para provar daqueles lábios que chegavam cada vez mais perto, mas Melissa manteve-se observando-o com aquela expressão de ceticismo óbvio. ☬

- Você está totalmente enganado.

☬ Ela não precisava olhar em seus olhos para chegar aquela conclusão. Maxwell não era flor que se cheirasse... Mel percebera aquilo num primeiro momento e ficara cada vez mais óbvio cada palavra que trocava com ele. Se sabia que ele realmente iria tentar algo para importuná-la? Sim, claro. Melissa ergueu uma sobrancelha para ele, como quem diz "você ia fazer o que, mesmo?" ☬

- É... e isso é uma merda. - ela tomou mais um gole da cerveja e suspirou pesadamente. - É por isso que não vou me arrepender de mais nada que eu fizer.

☬ Ela subiu suas pernas para apoiar seu queixo sobre elas e passar um dos braços, mantendo-as bem unidas ao corpo, enquanto a garrafa ficava presa pela mão do outro braço atirado de qualquer jeito para a frente de seu corpo. Uma gargalhada surgiu de fininho em seus lábios. ☬

- Você pode ser um filho da puta, mas é realmente um filho da puta divertido, afinal de contas. Mas eu acho que... você gosta de ver que há algo bom no mundo, por mais difícil que seja de encontrar. - ela fez um verdadeiro contorcionismo para tomar outro gole da cerveja. - Nesse caso, tudo certo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 257
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 18
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sex Set 29, 2017 1:16 am

- A maioria das pessoas jogaria uma frase motivacional nessa hora. Ainda bem que você não é a maioria das pessoas - O rapaz riu, claramente se divertindo com aquela situação. Ele coçou sua nuca e abriu um sorriso para ela - Ah, não precisa se preocupar com isso. Eu memorizo cada detalhe de tudo que vejo e ouço.

Se Melissa apenas soubesse em que situação eles iriam acabar se metendo no futuro, aquela frase teria sido um sinal do quão irritante Maxwell viria a ser após vê-la semi-nua. Ele continuou a aproximar seu rosto do dela, queria ver até onde ele conseguiria chegar sem levar uma porrada. Assim como ela não dava sinal de que iria agir, ele não dava sinal de que iria parar. Talvez ele realmente fosse louco a ponto de desejar fazer algo a mais com ela. Talvez estivesse apenas testando os limites da mesma. De qualquer maneira, seu rosto continuava a se aproximar.

- Só tem um jeito de descobrir, não é mesmo?

Uma pequena risada deixou os lábios de Maxwell, conforme ele olhava nos olhos de Melissa. Ele realmente era um homem quebrado e não fazia questão de esconder isso, por mais que fosse bem capaz de fazê-lo. Havia em seus olhos um quê de loucura, algo que deixava claro que a mente de Maxwell, por mais brilhante que fosse, não estava inteira. Talvez nunca tivesse estado inteira, quem sabe ele tivesse nascido com a maldição da loucura tão encravada em sua pele como as palavras que seu pai cortara em suas costas.

- Eu deixei de me arrepender faz um bom tempo. Seja para o bem ou para o mal, toda ação minha me diverte.

Ele tomou um gole da cerveja, por fim acabando com ela. Realmente era um alcoólatra, já que não fora necessário muito para acabar com aquela bebida. Ele deixou um suspiro escapar de seus lábios enquanto pousava a garrafa no chão e colocava sua mão dentro da caixa, em busca de algo mais. Melissa gargalhou no mesmo momento que ele tirou uma garrafa ainda cheia de Jack Daniels. Não dava para saber se Max estava surpreso com a risada de Melissa ou com a bebida.


- Que tipo de pessimista gosta de ver que há algo de bom no mundo? - Evadiu-se, aquela era uma conversa que ele não queria ter - Então, o pacto está feito. Não se preocupe, não preciso do seu sangue ou de um sacrifício.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 316
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Dom Out 01, 2017 6:01 pm

- Se quer frases motivacionais, eu te arranjo um livro de auto-ajuda. - Melissa tinha uma ótima opinião sobre os livros de auto-ajuda... eles só serviam pra peso de papel. - Mesmo assim eu tenho o maior prazer do mundo em chamá-lo de babaca.

☬ Melissa admirou absolutamente o tamanho da estupidez de Max por chegar tão perto. O cara era ou muito corajoso ou muito burro. Certamente um pouco de ambos. Ela definitivamente não fazia a menor ideia do que ele poderia conseguir agindo daquele jeito, além de provocá-la a um nível que poderia facilmente matá-lo. ☬

- Pois é... tente a sorte, se quer tanto assim morrer.

☬ Não que ela fosse matá-lo na base da porrada, mas bem... era Melissa. De acordo com o que se sabia dela, Max estava muito ferrado. Ainda assim, ela não estava se mexendo, apenas observava-o nos olhos esperando por alguma coisa. Talvez estivesse disposta a receber o que ele tinha para dar. Talvez não. Apesar de ser uma garota notadamente furiosa, não dava para perceber quais eram as intenções dela ali. ☬

- Claro, se um demônio não se divertisse com o que faz... que tipo de diabo inútil seria?

☬ Ao contrário do garoto, ela bebia tranquilamente sua cerveja. Melissa não era viciada em muitas coisas além do cigarro. Aliás, se lhe perguntassem, ela negaria até o fim que tinha problemas com nicotina. Ela observou-o com o canto dos olhos, notando a evasão. ☬

- Hum... mentiroso. - ela disse baixinho, então fixou mais profundamente o braço através dos joelhos, encarando a garrafa em seguida. - Que pena, já tava imaginando os rituais negros que teria de fazer para que isso valesse.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 257
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 18
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Dom Out 01, 2017 7:50 pm

- Livros de auto-ajuda não servem para porra nenhuma - Maxwell compartilhava da opinião de Melissa sobre livros de auto-ajuda, via-os como coisas inúteis e sem sentido e se havia algo em que ele não gastava se tempo era em coisas inúteis - Bom saber que lhe dou um certo prazer.

Se Maxwell em algum momento decidiu que não iria chegar muito perto, ele havia jogado essa ideia fora. Agora apenas o prospecto de irritá-la ao extremo era o que motivava naquele momento, o que deveria convencer Melissa de uma vez por todas: Aquele rapaz era completamente insano e provavelmente tinha alguns parafusos faltando. Agora estava tão próximo que com apenas mais um pouco os rostos dos dois iriam se encostar. Perigosamente próximo, a ponto de ter a oportunidade de fazer algo e a quase certeza de apanhar logo em seguida.

- Você é bem perigosa, não é? Gosto disso

Aquilo fora dito entre um risada, e aquelas duas últimas palavras tinham um teor ao mesmo tempo malicioso e maligno. Não dava para saber que jogo Maxwell Watson estava jogando, já que nem mesmo o rapaz era capaz de dizer com toda a certeza, sua mente era instável e desejava as coisas mais aleatórias. Em um determinado momento ele poderia desejar ser um violinista, em outro poderia desejar desenhar algo inovador e em outro ele poderia desejar enlouquecer Melissa.

- Seria o pior dos demônios, é claro.

Abriu aquela garrafa de Jack Daniels e tomou um longo gole, antes de abaixar a garrafa novamente. Ele olhou para Melissa e indicou a garrafa com sua cabeça, como quem quer oferecer algo e em seguida esticou o braço que segurava o uísque para ela, ignorando o fato de ela ainda ter uma cerveja em sua mão.

- Que tipo de diabo não mente? - Sussurrou Maxwell, com um pequeno sorriso em seus lábios - Se quiser realmente fazer algum tipo de ritual de sangue, dá para fazer. Cada um com suas taras.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 316
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Qua Out 04, 2017 12:16 am

- Na verdade eles servem como calço pros outros não caírem... principalmente se falamos da minha prateleira. - ela encarou Maxwell com uma expressão de tédio profundo. - Oh, por que, estava pretendendo me dar outros tipos?

☬ Ela deveria estar acostumada com as piadinhas inglórias de Maxwell Watson. Melissa estava tentando se acostumar, porque se não o fizesse, provavelmente lhe daria uma surra tão grande quanto a que estava guardando para Nathan, e olha que essa seria "a surra". Melissa bufou contra o rosto dele, perguntando-se se aquele idiota iria realmente chegar mais perto que aquilo. ☬

- E eu jurava que você não era masoquista. -  Apesar de sua imprevisibilidade, Mel meio que entendeu o jogo de Max. Ele apenas queria irritá-la. Queria que ela batesse nele. Só que Melissa detestava fazer o que os outros queriam. Principalmente quando iam zombar de sua cara alguns segundos depois. De maneira que ela limitou-se a colocar a mão entre as bocas dos dois e empurrar o garoto para trás novamente. - Uma pena... eu tendo a não dar atenção aos suicidas.

☬ Ela pegou a garrafa de uísque sem pensar duas vezes, depois de apoiar a cerveja que segurava na mesinha mais próxima, entre as esculturas exibidas. Melissa encarou aquilo, achando que poderia dar asas a imaginação de alguém, e tomou um gole, devolvendo-a em seguida para Max. Ela gostava de beber, embora não fosse considerada uma alcoólatra como Maxwell. ☬

- Não é com o fato de mentir que estou surpresa. - ela disse, mas mudou naturalmente de assunto. - Eca... não tem a menor condição de eu fazer um troço desses.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 257
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 18
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Qua Out 04, 2017 12:33 am

- Argumento justo, porém aqui isso meio que não funciona, prateleira cheia demais - Ele riu com a pergunta seguinte de Melissa, até mesmo ele poderia ser um tanto previsível quando o assunto eram as suas piadas - Talvez...

Por mais que Maxwell adorasse provocar Melissa, ele tinha que admitir que aquele era um jogo perigoso demais para o seu gosto. A recompensa poderia até ser boa, porém não compensava pelos danos que seriam causados, talvez fosse por isso que ele hesitava um pouco em fazer algo, apenas a ideia do que ela faria com ele lhe dava um certo receio. Por mais que aguentasse dor e adorasse causá-la em outras pessoas, ele definitivamente não gostava de senti-la. Lhe trazia memórias demais.

- Eu acho que você vale a pena - Quando se viu sendo empurrado para trás, um suspiro deixou a boca dele. Ela acabara de estragar toda aquela brincadeira que ele vinha montando, e isso era um pouco decepcionante. Bom, pelo menos ele não apanhara dela, isso era uma vitória para ele - Eu não sou um suicida.

Aquela última frase saíra com um tom de irritação que não era comum para Maxwell, e acabou surpreendendo até mesmo o garoto que pareceu ficar confuso momentaneamente com aquela reação que tivera. Ele meneou rapidamente sua cabeça, como se para espantar toda aquela sensação esquisita que sentia. Era óbvio que ele estava raiva.
Mas por que?
Nem mesmo ele sabia explicar direito o porque odiar a ideia de tirar sua própria vida.


- E com o que seria? - Ele perguntou, tomando um gole do uísque. Uma pessoa mais fraca já teria ficado bêbada, porém Maxwell estava acostumado a beber muito - Eu não saberia fazer um também, então tem isso.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 316
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sab Out 07, 2017 4:36 pm

- Verdade, nunca vi alguém guardar tanto entulho no próprio quarto. - ela abriu um sorriso de canto com o comentário, deixara claro que apreciara as obras de arte de Maxwell anteriormente, então soaria apenas como uma provocação. - Tsc... metido.

☬ Aquele garoto além de problemático não fazia muito sentido, ele estava forçando-a a tomar uma atitude, mas duvidava muito que Maxwell iria querer que ela o surrasse. Ninguém gostava de apanhar, ainda mais apanhar feio. E por mais que chamasse-o de masoquista, o rapaz alegara categoricamente que não era aquilo. Não que confiasse cem por cento no que ele dizia. ☬

- Você é um mentiroso. Qualquer um que olhasse bem veria que eu não valho nada. - ela estreitou os olhos, focalizando a janela e deixando escapar um suspiro pesado, só para ouvir a frase raivosa que o rapaz soltou em seguida. Melissa estendeu a mão e deu um peteleco na testa dele. - Então não aja como um.

☬ Aquelas palavras saíram sérias, destoantes da personalidade briguenta e rude que Melissa utilizava-se sempre. Ela quase pareceu uma irmã mais velha dizendo aquilo. Mas a impressão sumiria alguns segundos depois, quando ela recolheu a própria mão e tirou o isqueiro do bolso, voltando a brincar com o mesmo, abrindo e fechando a tampa de metal. ☬

- Isso é um segredo. Descubra, se puder. - ela revirou os olhos, voltando a tomar sua cerveja. - Que vergonha, um diabo que não sabe fazer rituais de sangue. O outro demônio deveria rir da sua cara.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 257
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 18
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sab Out 07, 2017 6:09 pm

- Ah sim, claro, minha arte agora é entulho - Ele falou, com uma sombra de sorriso passando em seu rosto devido a provocação que ela fizera, não era algo que chegava no nível dele, porém ela poderia um dia chegar lá. Maxwell esperava que não, quanto menos pessoas como ele no mundo, melhor - Há uma oportunidade de piada aqui, mas ela está abaixo de mim.

Maxwell era como se o caos tivesse tomado forma humana, a sua mente era uma completa bagunça, sua ideias eram sempre mutáveis e poderiam atingir uma extensão enorme de conceitos ao mesmo tempo, era uma verdadeira surpresa que ele não tivesse enlouquecido ainda. Porém, aquele demônio tinha um pouco de controle sobre a bagunça que era o que estava dentro de seu cérebro. Em um momento ele poderia estar desejando a morte e em outro ele iria lutar pela sua vida com tudo o que tinha. Para falar a verdade, nem mesmo Maxwell conseguia compreender a si mesmo.

- Você vale algo para mim, Melissa - Ele falou, passando por cima daquela auto-depreciação que Melissa executara. Aquela frase saíra com tamanha honestidade que era uma verdadeira surpresa para Maxwell, que no momento recuava após ter recebido o peteleco de Melissa. Interagir com ela estava lhe trazendo uma nova variedade de pensamentos que nunca haviam lhe surgido antes, quem sabe a personalidade forte dela ajudasse nisso - Certo...

Eles haviam entrado em um território confuso, pela primeira vez em sempre ele viu a si mesmo sem palavras para descrever o que passava pela sua mente naquele momento. Perguntava-se o por quê de ter reagido daquela maneira, isso nunca lhe acontecera antes, também questionava o motivo de ter falado daquela maneira com Melissa, quando já havia sido chamado de suicida tantas vezes que ele cansara de contar.

- Não ganho nem uma dica? - Ele perguntou, tomando mais um gole do uísque. Percebeu que com mais alguns daqueles longos goles e ele estaria chegando perto de seu limite, portanto tomou mais um e tampou a garrafa, devolvendo-a para a caixa - Se eu for explicar para você porque falo que sou um demônio, estaríamos entrando em uma conversa filosófica demais. Basta dizer que eu uso essa comparação por pura conveniência. Eu não acredito em Deus, em Diabo ou em qualquer coisa similar.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 316
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Ter Out 10, 2017 9:37 pm

- Por que não, os dois ocupam espaço. A única diferença é que a arte tem um leve valor decorativo. - ela deu de ombros, como se aquilo fosse óbvio demais e houvesse certa desnecessidade de ser explicado. Então encarou- por um segundo, seu cérebro trabalhando para entender o que ele estava pensando no momento. Nade de bom, como sempre. - Eu prefiro que você não faça.

☬ Melissa desistira de tentar entender aquele garoto, ele era uma bagunça completa pra ela. Só conseguia imaginar o porquê Maxwell fazia algumas coisas, e olhe lá. Também, a garota não era a mais observadora do mundo. Talvez ela não tivesse nem o dom pra isso. Em meio a isso, ela escutou a frase dele. Seus olhos que ainda estavam focando o ambiente voltaram-se para o rapaz, aquilo realmente não era algo que esperava dele. Se bem que ela própria havia agido de uma forma não muito convencional. ☬

- Valeu... eu acho. - ela coçou o nariz com o nó de seu dedo indicador, desviando o olhar desta vez para o isqueiro que ainda abria e fechava, abria e fechava... Melissa Carter estava constrangida? Provável. Ainda mais porque aquilo não era um flerte. Soara bastante sincero.

☬ Mel era alguém acostumada a agir com violência na maior parte das vezes e com sinceridade absoluta nas outras, era tão raro alguém se importar minimamente com ela, com toda a fama e as bobagens em que se metia, que imaginar isso vindo de Maxwell deixou-a momentaneamente em pane. ☬

- Não mesmo, seria muito fácil. - ela sorriu um pouco, acabando com sua garrafa de cerveja e esticando as pernas, tocando novamente suas botas no chão. - Ah, eu imaginava que era assim. Então você é um ateu ou apenas cético até na alma?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 257
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 18
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Ter Out 10, 2017 10:11 pm

- Um belo valor decorativo, você quer dizer - Maxwell falou, com tanto orgulho em sua voz que chegava a quase ser palpável. Era um tanto óbvio que aquele rapaz tinha tanta ufania por sua arte que chegava ao ponto de ser vaidade, mas era um pouco compreensível levando em conta a habilidade e a personalidade de Max - Eu não farei, eu consigo me conter.

Maxwell era verdadeiramente uma pessoa 8 ou 80, toda aquele egocentrismo, acompanhado de arrogância e até mesmo um ódio de todos que o circulavam era apenas a ponta do iceberg. No fundo, ele era uma pessoa completamente maleável, podendo mudar a sua forma de agir em um único instante, desde que isso lhe conviesse, é claro. Podia se tornar uma pessoa mais amável se isso fosse lhe dar algo, porém em algum momento toda aquela personalidade detestável iria vir á tona e estragar qualquer chance de amizade que havia. Mas era necessário dar crédito para ele, pois aqueles que eram capazes de aturar, ou ignorar, sua personalidade encontrariam uma pessoa na qual poderiam verdadeiramente depender. Maxwell não chamava isso de amizade, chamava de Pacto, afinal ele tinha que manter aquela imagem de demônio de uma maneira ou outra, não é mesmo?

- Não precisa me agradecer - Ele falou, ostentando aquele sorriso maligno de sempre. Tinha vezes que todo aquele papo de ser um demônio não parecia ser uma brincadeira. Porém Melissa iria notar que, assim que aquele sorriso morresse, havia uma sombra de um sorriso da mais pura felicidade, porém este não durou muito.

Nem mesmo Maxwell conseguia compreender totalmente o porquê de estar agindo daquela maneira, ele estava fazendo o seu melhor para afastar aquela necessidade que tinha de formar uma amizade verdadeira com Melissa, sem ter todas aquelas facetas de pactos e imagens demoníacas, porém sua mente insistia em lembrar-lhe do que acontecera da última vez que fora fraco, que fora uma pessoa boa. Ele acabara perdendo a pessoa mais importante de toda a sua vida e passara meses sendo torturado apenas por existir. Havia certa resistência por parte da natureza de Maxwell, porém não era, nem de perto, tão grande quanto a força que seu coração estava fazendo para deixar que suas emoções voltassem a fluir.


- Você é cruel - Ele falou, com um pequeno sorriso de canto enquanto a observava esvaziar aquela garrafa de cerveja. Uma parte dentro de si desejou beber mais um pouco, porém ele fez um esforço para não alcançar aquela caixa recheada de bebidas geladas - Bom, não sei se você vai conhecer o nome, porém eu sigo a ideia filosófica de Anton LaVey, que é o fundador da Igreja de Satã e é aí que a confusão começa. Essa Igreja não cultua o Diabo, para a surpresa da maioria.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 316
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sex Out 13, 2017 1:02 am

- É um argumento válido. - ela até esperava a reação dele coberta de orgulho, fora algo parecido que ele lhe mostrara quando elogiara o desenho que fizera dela. - Será? Eu diria que você consegue muitas coisas, mas se conter não parece ser uma delas.

☬ Melissa tinha a mania de envolver-se com pessoas complicadas. De uma maneira ou de outra, aqueles que um dia foram mais próximos dela - e que o eram, atualmente - tinham algum traço de personalidade odioso, algum problema mental ou estavam envolvidos com alguma atividade ilícita. Ela colecionava essas amizades e inimizades sem perceber, apenas agregando aqueles se aproximavam dela... de uma forma boa ou ruim. ☬

- Eu posso ser um caso perdido mas ainda assim tenho o mínimo de educação, idiota. - Melissa disse, esgueirando seus olhos para Maxwell bem a tempo de ver o vislumbre de seu sorriso maligno e mais tarde do sorriso de felicidade também. - Francamente, como você é problemático.

☬ Ela dissera aquilo após fechar definitivamente o isqueiro e colocar uma mão sobre a boca, escondendo assim um sorriso mais largo. Mel não era a pessoa mais indicada para fazer alguém abrir-se para amizade, amor ou algo do tipo, mas talvez toda aquela teimosia e preocupação mascarada de deboche servisse para tirar um lado de Maxwell não muito aparente. Não que ela fizesse isso propositalmente, também. ☬

- Eu ouço bastante isso, mas costumam se referir a mim como bruta e louca. - ela deixou os termos pejorativos piores de lado, todo mundo entendia muitíssimo bem do que costumavam chamar meninas quando queriam xingá-las. Ela bocejou longamente e colocou a garrafa vazia apoiada ao seu lado na cadeira. - Nunca ouvi falar. Então o que eles cultuam, exatamente?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 257
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 18
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sex Out 13, 2017 9:28 am

- Claro que é válido, estamos falando a minha arte - Toda aquela pretensão não era sem motivo, ninguém nascia sabendo de tudo, Maxwell se esforçara muito para chegar no nível que estava atualmente e não tinha vergonha de mostrar o quão orgulhoso ele realmente era - Tenha um pouco de fé em mim. Eu consigo me conter, quando eu quero.

Por mais complexo que Maxwell fosse, ele possuía seus pontos fracos aqui e ali. Ele erguera toda aquela fachada de demônio pois sabia que isso iria afastar a maioria das pessoas e manteria por perto apenas aqueles que realmente apreciavam a sua companhia, também era um modo de esfregar na cara de seu pai, mostrá-lo que após todo aquele show ele ainda estava de pé e aguentaria o que a vida jogasse contra ele, independente do que fosse. Max costumava afastar as pessoas boas que conhecia e mantinha por perto aquelas que poderiam lhe oferecer um perigo maior em algum momento, normalmente pessoas instáveis e machucadas. Esse não parecia ser o caso com Melissa. Claro que ela ameaçava surrá-lo a toda hora que passavam juntos, porém ele tinha em mente que ela ainda tinha algo de bom dentro de si, por mais que se desviasse de isso, assim como o próprio Maxwell fazia. Para ela havia esperança, mas para ele? Bom, o abismo já havia o puxado para dentro e ele proclamara que aquele local era seu domínio.

- Mas eu não falei que não tinha educação, só disse que não precisava me agradecer. Não importa, eu aceito os seus agradecimentos - Ele olhou para ela com uma expressão curiosa, sua mente trabalhando para tentar entender o que ela quisera dizer com aquilo. Por fim, deu por si que ela deveria ter notado que ele estava realmente feliz - É... é claro que sou problemático, sou um demônio.

Maxwell Watson estava envergonhado. Isso era uma ocorrência tão rara que porcos deveriam estar voando do lado de fora daquela janela naquele exato momento. Ele nunca tinha vergonha de nada, não se importava com nada a ponto de sentir qualquer tipo de emoção direcionado a algo, ou a uma pessoa. Era possível notar todo aquele constrangimento que o rapaz sentia, ele agora desviara seu olhar para o lado, mas o tempo inteiro ele olhara Melissa em seus olhos, não era muito porém sua pele agora adquirira um leve tom avermelhado e ele precisara de alguns segundos para esconder sua respiração que falhara por alguns segundos. Ele coçou a bochecha com o dedo indicador e após algum tempo ele voltou a olhar para Melissa.


- Você realmente é bruta e louca. Mas é o que te dá charme - Ele em seguida inspirou profundamente, explicar a filosofia da Church of Satan não era exatamente um dos trabalhos mais fáceis que se existia - Eles afirmam que são dedicados a aceitação da verdadeira natureza do homem: Uma besta carnal, vivendo em um universo que é indiferente a existência dela. Para eles, Satã é o símbolo do que eles realmente são: Pessoas que não tem batalhas ocorrendo em sua mente e com suas emoções, já que ele representa orgulho, individualidade e liberdade verdadeira, coisas que normalmente são definidas como Malignas, para pessoas que sentem que há uma batalha dentro de si. Eles também afirmam que não existe nenhum tipo de Deus ou qualquer outra divindade, que todos foram criados pelo homem porque a maioria não conseguia aceitar sua verdadeira natureza e os inventou como uma desculpa para as suas ações.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 316
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sab Out 14, 2017 8:39 pm

- Okay, eu conseguiria sentir seu orgulho a quilômetros de distância, já pode parar. - Melissa sabia que um talento como aquele não se conseguia da noite para o dia. Mas se Max gostava de provocá-la, a recíproca era verdadeira... embora ele fosse melhor nisso. - Isso quer dizer o que, que você nunca quer?

☬ Melissa crescera com a ideia de que era uma rejeitada. Talvez pelos seus modos rudes aos quais já pendia um pouco como criança, ou pelo fato de não conseguir ficar numa família por muito tempo.Ela sabia desde sempre que havia algo de errado com ela, e por isso só via duas opções: ou se encolheria numa bola e choraria para o resto da vida, ou daria o troco em cada um que ousasse mexer com ela. E, de fato, ela aprendera tão bem a revidar que começou a ser, além de rejeitada, temida também. Era um fato, porém, que ela não era uma pessoa ruim. E ela tendia a acreditar que Max também não era tão ruim assim... ou que havia algo (mesmo que miseravelmente minúsculo) que poderia ser salvo debaixo de todas as máscaras. Ainda que Mel não se achasse a pessoa ideal para fazer esse tipo de "resgate", é claro. ☬

- Que ótimo, porque eu não agradeço com frequência também. - ela revirou os olhos, bufando para ele, esperando o vestígio de sorriso desaparecer para retirar a mão de frente da boca. - Você não pode usar a desculpa que é um demônio pra sempre, cê sabe, né?

☬ Ao notar o certo rubor na face dele, Melissa foi incapaz de esconder uma risadinha. Ela deixara o Diabo Número Um envergonhado? Aquilo era o que, um fato que poderia causar o caos universal por conta do paradoxo? A garota riu um pouco mais e recostou-se na cadeira. ☬

- Você está um pouco vermelho, está passando mal?

☬ Apoiando o braço em seu joelho e seu queixo sobre a mão, ela franziu o cenho e inclinou a cabeça para um dos lados, com um olhar ligeiramente letal. ☬

- Está flertando comigo outra vez? - era sempre uma pergunta válida quando se tratava daquele garoto. Seus olhos viraram em direção ao teto enquanto ele falava. - Hum... olhando por esse ângulo até que é uma "seita" que faz sentido, não me surpreendo de ter tantos seguidores.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 257
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 18
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sab Out 14, 2017 9:06 pm

- Só quilômetros? Eu fico surpreso que tenha alguém vivo que não consegue sentir meu orgulho - O rapaz abriu um sorriso, era uma mistura de confiança junto de zombaria, Melissa havia feito uma pergunta cuja resposta ela já deveria saber - Exatamente, eu nunca quero. Quero dizer, onde que está a graça nisso? Ficar se segurando a todo o momento para evitar falar algo que uma pessoa não vá gostar não faz o meu estilo.

Para o resgate de Maxwell seria necessário uma pessoa que não tivesse medo do que iria encontrar embaixo de todas aquelas máscaras, porque apenas o rapaz sabia o quão horrenda era a sua verdadeira face. Não por ser algo necessariamente assustadora, mas sim por ser algo que ele julgava ser repulsivo. A verdade é que o seu verdadeiro eu era algo digno de pena, e isso era algo que ele simplesmente não aceitaria, era justamente por isso que ele afastava de si todas as pessoas boas que tentavam se aproximar, Maxwell não queria ver os olhares de dó voltados para ele, não se julgava merecedor da compaixão de uma outra pessoa. Ele vivia em um eterno tormento dentro de sua mente, ele desejava pela salvação porém ao mesmo tempo pensava que não deveria recebê-la.

- É, eu imaginava que não - Ele sabia muito bem o que se escondia atrás da mão dela, porém escolheu não falar nada e nem mesmo provocá-la com aquilo, até porque ele estava atualmente em uma posição complicada - Claro que posso...

A risada dela não ajudou em nada, nem mesmo Maxwell tinha o completo controle sobre seu próprio corpo e emoções, portanto apenas ouvir aquele som deixar a boca dela o fez ficar ainda mais envergonhado. Seus olhos ainda estavam sobre a mesa de seu quarto, ele preferia olhar para qualquer lugar, menos para o rosto de Melissa, sabia que isso somente iria piorar aquela situação. Não era sempre que sentia vergonha, era uma ocorrência rara, porém não era algo impossível de se acontecer. Aquele vermelho parecia recusar a deixar a pele de Max, e provavelmente não iria sair dali tão cedo, já que aquela era a oportunidade perfeita para Melissa revidar todas as provocações que Maxwell fizera.

- Não comece...

Max abriu um pequeno sorriso para Melissa, ao ouvir a pergunta que ela fizera. Ele não tinha notado ainda que aquilo podia ser considerado um flerte, mas não demonstrou aquilo e preferiu usar isso para a sua vantagem.

- É claro que estou - Max usava toda oportunidade que tinha para provocar Melissa, então é óbvio que não deixaria aquela passar. Por fim, ele deixou-se cair em sua cama e juntou suas mãos atrás de sua cabeça - O foda é que para virar membro de carteirinha tem que pagar 225 dólares.

( A propósito, quando eu estava pesquisando sobre esses caras para montar o Max eu acabei descobrindo que eles tem esse esquema de carteirinha, é basicamente 710 reais se for convertido )
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 316
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Dom Out 22, 2017 8:44 pm

- Que dramático, se dependesse do seu ego até mesmo os mortos perceberiam. - Melissa mordeu o lábio inferior e endireitou uma mecha de cabelo na cabeça. - Se você nunca se controla porque nunca quer não há nenhuma prova que haja esse controle, certo?

☬ A garota encarou mais uma vez Maxwell e suspirou levemente. O garoto podia até não ser um caso perdido, mas a pessoa que estivesse fadada a provar isso teria uma grande dor de cabeça pela frente. Por si mesma, ela apenas mantinha o sentimento de que eles haviam aproximado-se o bastante para algo como uma amizade de verdade surgisse, e não apenas um pacto, como Max certamente chamaria aquilo. ☬

- Está no meu contrato de existência. - o sorriso tornou-se sutilmente maldoso enquanto ela reparava ainda mais na falta de jeito do garoto. Ignorando-se totalmente a resposta dele e o aviso que veio depois, Melissa aproveitou seu parco momento de superioridade para chegar perto de Max e agarrá-lo pelo pescoço com um dos braços, bagunçando seus cabelos de uma forma um tanto quanto bruta - ainda que amigável - com a mão livre. - Ora essa, Maxwell Watson envergonhado, eu pensei que morreria e nunca veria isso.

☬ Quando tivesse retornado a sua posição anterior, a garota franziu o cenho para ele e bateu a mão contra a própria testa. ☬

- Não sei nem pra que eu pergunto, você vai sempre responder isso! - ela cruzou as pernas, fazendo uma careta de ameaça não verbalizada para o rapaz, inclinando a cabeça em direção ao ombro direito. - Porra, que roubo, tu tem que pagar ainda?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 257
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 18
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Dom Out 22, 2017 9:45 pm

- Eu gosto de pensar que eles já percebem - Sorriu-lhe da mesma maneira costumeira de sempre, seus lábios podiam ser uma representação da maldade em si. Ele podia até ser um demônio só em apelido, porém ele sabia fazer calafrios percorrerem a espinha das pessoas como ninguém. Porém, no próximo segundo, aquele sorriso diminuiu um pouco - Não tenho provas físicas, mas já fui bem controlado antes sim.

Dentro de si, bem no fundo de sua alma, Maxwell desejava por um pouco de salvação. Não importava a maneira que esta mesma viesse, ele só desejava ter uma chance para se redimir. Porém sua teimosia era um fator poderoso ali e o impedia de admitir que era isso que o seu coração ansiava, havia também o seu orgulho, sempre presente, o segurando para que ele não pedisse ajuda para alguém. Da maneira como se encontrava naquele momento, Maxwell Watson requiria muita paciência e compreensão da parte de qualquer um que desejasse ajudá-lo a superar todo aquele peso que carregava consigo.

- É o que te faz tão interessante, hoje em dia todo mundo tem essa necessidade de agradecer por tudo. Um pouco de teimosia sempre é bom para mudar o ritmo das coisas - Ele ergueu suas mãos em uma tentativa pífia de se defender do avanço de Melissa, porém toda aquela vergonha realmente minara seus reflexos, pois simplesmente não conseguiu impedir que aquela garota bagunçasse os seus, sempre desordenados, cabelos negros - Aproveite bem, não é sempre que isso acontece - Ele passou sua mão rapidamente pela área atacada por Melissa e em seguida murmurou para si mesmo - Não posso abaixar minha guarda nem por um segundo...

A guarda que ele estava falando era uma metafórica, ele realmente não se importara de ter sido atacado por Melissa pois, em sua visão, ele havia se tornado um alvo fácil naquele momento e um alvo fácil sempre deveria ser atacado. Não, a guarda que ele citava era aquela que protegia as suas emoções verdadeiras, e desta vez ela falhara duas vezes com ele: uma em segurar a sua genuína felicidade e a segunda fora em conter o embaraçamento que ele sentira graças ao seu primeiro sentimento.

- É claro que eu vou sempre responder isso, é legal flertar com você - Ele falou, apoiando o seu queixo em sua mão e usando sua perna para segurar seu cotovelo. Os olhos azuis de Maxwell pareciam brilhar naquele momento, enquanto ele olhava para Melissa com um sorriso levemente divertido em seu rosto - Claro que não, você pode ser um Satanista sem ter que dar um mísero centavo. Esse dinheiro é considerado uma contribuição. Mas o meu plano de agredir visualmente todo mundo que eu encontro na frente necessita dessa maldita carteirinha. São poucas coisas que incomodam mais do que um Satanista.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 316
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sex Out 27, 2017 2:08 am

- Lembre-se disso quando acontecer uma apocalipse zumbie, talvez eles te respeitem o bastante para seguirem seus passos. - Melissa meneou a cabeça brevemente, notando tanto o sorriso quanto a resposta. Mas não argumentou sobre aquilo, novamente. Alguns assuntos eram como pisar em ovos. Ela definitivamente não queria sujar seus pés no momento.

☬ Se Melissa olhasse bem, ela poderia perceber aquela necessidade que Max possuía de ser salvo do seu inferno particular. A garota não era a melhor pessoa do mundo, nem tão compassiva assim, mas sentia certa vontade de ajudá-lo com aquilo. Mas, bem... talvez ela não fosse a pessoa ideal. Definitivamente ela não era. Melissa Carter era errada demais pro si mesma para tentar concertar outra pessoa. Ela tentara com Tate, e as coisas desandaram. O que não era nenhuma novidade, tudo dava errado ao redor dela, desde que se conhecia por gente. ☬


- Isso não é só apenas aquelas frases do contra que você gosta de dizer? - a garota sorria um pouco enquanto bagunçava os cabelos de Max, sim, eles já eram uma zona total, e ficaram mais desorganizados ainda com o ataque de cócegas que trocaram mais cedo, mas havia certo prazer envolvido em tocá-lo e zombar da cara dele. - Ah, eu vou aproveitar pra caramba, tenha certeza disso. - Ela segurou as bochechas dele e apertou-as de leve, puxando-as para os lados. - Não faça essa cara, até mesmo o diabo pode baixar a guarda por um minuto ou dois.

☬ Mel sabia do que ele estava falando, a prova era que Max não reagira daquela forma quando ela atacara-o mais cedo. Sim, era algo mental, e sim, ela iria continuar perturbando-o por um tempo. Mas certamente aquilo mostrava que aquele pirralho ainda era humano, apesar de tudo o que passara. ☬

- Você apenas me irrita, não é como se isso pudesse ser considerado um flerte. - ela inclinou a cabeça e sorriu daquela forma zombeteira ao mesmo tempo, tornando o movimento levemente cômico. - Mesmo que você arranje a bendita... ou melhor, maldita carteirinha, qual a probabilidade da maior parte das pessoas entenderem do que se trata só de olhar? O povo ultimamente tem uma inteligência bem abaixo da média, sabe?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 257
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 18
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Sex Out 27, 2017 6:34 pm

- Seria uma boa, não é? Ter um monte de zumbis ao meu comando - Ele já havia contado para Melissa sobre como, por um curto período de tempo, agira como uma pessoa boa. Fora logo após seu irmão ter sido sequestrado, ele decidira andar na linha para que sua mãe não tivesse que se preocupar com ele. Não fora um plano que se concretizara, no final das contas.

Ele sabia o quanto desejava a salvação, porém não podia simplesmente sair por aí falando isso não é mesmo? Ele tinha uma reputação a manter, afinal de contas que tipo de demônio pede por ajuda? Para piorar a atual situação de Maxwell, sua mente não era uma das mais estáveis e estava constantemente fazendo com que ele se focasse em outros problemas que, bem lá no fundo, não mereciam a sua atenção. O rapaz deveria estar se focando em arrumar a sua alma quebrada, porém não é como se fosse uma tarefa necessariamente fácil.


- Pode ser que seja. Isso importa, no final das contas? - Maxwell provavelmente conseguiria se livrar de Melissa, caso realmente tentasse, porém deixou ela ter aquela vitória sobre ele. A garota o aturara por um longo período de tempo, pelo menos aquilo ela merecia - Eu não duvido nada disso - Ter seus cabelos bagunçados? Ok. Agora ter suas bochechas apertadas? Não é como se ele fosse deixar aquilo passar batido. Portanto revidou, apertando as bochechas de Melissa sem colocar muita força - Isso não faz o menor sentido.

Maxwell Watson tinha um pouco de humanidade restante dentro de si. Se os seus torturadores ainda estivessem vivos, provavelmente iriam rir daquela frase, o garoto sabia que seu pai iria gargalhar apenas com aquela ideia. Porém nenhum deles teria como escutar isso, afinal Johann Watson estava atualmente atrás das grades, onde pertencia. Quanto ao resto, bom, se o inferno realmente existe, eles com certeza estão lá.

- Para mim conta. Quer que eu comece a flertar de verdade com você? - Abriu um sorriso provocativo, sabendo que o mesmo iria apenas irritar Melissa, e isso era justamente o seu objetivo - É uma carteirinha vermelha, nela está escrito '' Church of Satan '' com o Símbolo de Baphomet no fundo. Tem que ser muito burro para não notar o que a carteirinha é.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 316
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Dom Out 29, 2017 11:25 pm

- Você vai se tornar o Rei do Novo Mundo.

☬ A garota encarou-o por um curto período de tempo, deixando um silêncio de expectativa entre a pergunta e a resposta. Um sorriso desenhou-se por um breve instante no rosto dela e Mel jogou teatralmente o cabelo para um dos lados, rindo baixo. ☬

- Claro que não... a menos se estiver sendo sincero, o que significa que está me elogiando de muita boa vontade. - ela foi pega de surpresa quando teve suas bochechas apertadas. Os olhos escuros rapidamente reviraram e ela acertou mais um peteleco na testa dele. - É claro que faz. E não me faça explicar esse tipo de coisa complexa porque não tenho a menor paciência para isso.

☬ Era por isso que Melissa não servia para ser a salvadora da pátria, afinal de contas. ☬

- Vai se foder. - ela disse, ainda com o sorriso no rosto, e começou a enrolar uma mecha do seu longo cabelo negro no dedo indicador. - Nós podemos duvidar de tudo, menos da burrice humana.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 257
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 18
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Dom Out 29, 2017 11:40 pm

- Isso era para ser alguma referência? Porque isso me lembrou do filme Stallone Cobra e eu duvido que a referência era essa.

Um leve sorriso dançava nos lábios de Max, enquanto ele aguardava a resposta de Melissa. Para ela deveria ser um pouco óbvio que ele estava de fato elogiando-a, porém fazendo isso de uma maneira que causasse confusão, afinal ele não estava no mundo pela facilidade da coisa, não é mesmo? Quando ela respondeu, entretanto, o sorriso dele tornou-se um tanto gentil, algo que parecia não caber muito bem no rosto de Maxwell.

- Eu sempre sou sincero, Melissa, ou melhor dizendo, eu sou sincero com aqueles que conseguem me aturar - Quando ela lhe acertou aquele peteleco, Max fechou seus olhos e caiu para trás de maneira dramática, como se o mundo estivesse em câmera lenta - Você não tem paciência no geral, não é mesmo?

Com a resposta de Melissa, Maxwell deixou uma gargalhada ressoar pelo quarto enquanto seus olhos azuis brilhavam com clara malícia. Era um tanto óbvio que aquele rapaz não tinha nada de bom em mente. Mas, para ser justo, quando é que ele tinha algo de bom em sua mente?

- É bom saber que você me ama também - Ele disse, dando uma pequena risada no processo - Argumento bem justo, esse seu.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 316
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Qui Nov 02, 2017 3:35 pm

- É só algo que o protagonista de uma animação japonesa diz. Como um jargão, acho. - ela movimentou levemente a mão direita, como se isso não fosse nada de mais.

☬ Era óbvio que ele simplesmente não podia elogiá-la sem fazer todo um drama em cima disso. Afinal, aquele ali era Maxwell Watson, o demônio encarnado. Em hipótese alguma aquele menino iria agir de outra maneira, mesmo que fosse para fazer alguma gentileza. ☬


- Não devem ser muitas pessoas mesmo, hein? - ela disse, por um curto período de tempo espelhando aquele sorriso, para então tomar uma expressão depreciativa após Maxwell jogar-se na cama. - Não tenho mesmo. Vai encarar?

☬ Melissa revirou os olhos, nunca podia se esperar nada de completamente bom do Demônio Número 1, afinal de contas. Ela cruzou os braços e mostrou-lhe o dedo do meio. Na real ela nunca mostrara tanto aquele dedo numa única conversa, nem mesmo com Nathan, e isso era porque quando estava com Nathan, os dois ficavam bem mais próximos de se engalfinharem. ☬

- Você definitivamente tem uma visão esquisita do amor, hein. - Mel soergueu uma sobrancelha. - Valeu. Li isso em algum lugar e porra, como faz sentido.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 257
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 18
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Qui Nov 02, 2017 4:05 pm

- Ah sim, você e seus animes - Ele falou, mesmo sabendo bem que o conhecimento de Melissa sobre as animações japonesas era pequeno. Verdade seja dita, ele só queria provocá-la um pouco mais.

A todo momento Maxwell parecia estar prestes a rir de alguma piada da qual apenas ele tinha conhecimento e que provavelmente envolvia a pessoa com a qual ele conversava. Com isto, todo aquele jogo que ele fazia com suas palavras se tornava algo ainda mais incômodo e deixava quase impossível saber o que se passava na cabeça dele, não que normalmente fosse possível, aquele rapaz era um caos ambulante.


- Até agora é só você, talvez o número aumente - Disse ele, dando uma pequena risada no processo. Esse riso mudou imediatamente no momento que ela lhe lançou aquela pergunta, havia uma malícia óbvia ali no meio - Mas que pergunta, essa a sua. Se você deixar, eu faço mais do que encarar.

O que Maxwell tinha era um dom. Um dom usado para tirar Melissa do sério. Se fosse lhe dado a chance, no entanto, será que ele usaria aquela sua habilidade com palavras para alguma outra coisa? Provavelmente não, aquilo ali lhe divertia muito mais. Era difícil olhar para ele e saber se ele estava beirando a insanidade ou apenas se forçava a passar aquela imagem. A pior parte é que as duas opções eram bem prováveis.

- Eu gosto de pensar que é uma visão única - Ele então estalou os dedos e apontou o seu indicador para Melissa - Sabia que já tinha ouvido isso em algum lugar, Einstein falou algo parecido com isso - Ele pigarreou e então recitou - Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, em relação ao universo, ainda não tenho certeza absoluta.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Melissa Carter
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 316
Data de inscrição : 23/07/2017
Idade : 17
Localização : Aqui, Idiota...

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens: Um isqueiro e uma chave inglesa.

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Dom Nov 12, 2017 9:21 pm

☬ Ela não disse nada, limitando-se a fazer mais uma vez um gesto rude para ele. Melissa já estava ficando especialista em fazer gestos rudes, e boa parte da culpa disso era de Maxwell. Logo após ela foi incapaz de conter uma risada, era peculiar imaginar que antes mesmo naquele dia Melissa acreditara ter invadido o quarto de um rapaz inocente. De inocente Max não tinha nada. ☬

- Eu duvido muito, você é um pé no saco. - a garota estreitou os olhos, coçando levemente a bochecha. Ela não saberia dizer que aquela reação que tinham poderia ser considerada como aguentar, mas visto seu próprio histórico, ela ainda não botara fogo em Max, aquilo era um começo e tanto. - Estou vendo que vamos nos separar hoje ou com você exibindo um grande olho roxo, ou conseguindo alguma outra coisa.

☬ Melissa simplesmente desistira de tentar entender o que se passava na mente de Max, era um esforço vão, e mesmo que estivesse certa sobre algo, o rapaz jamais admitiria. Então era mais fácil imaginar que estava lidando com alguém meio louco, embora soubesse que esse não era bem o caso. ☬

- Oh, não me diga. - ela deu de ombros e assentiu com a cabeça, fora isso mesmo que acontecera com ela, muito embora não lembrasse exatamente quando vira essa frase de Einstein. Provavelmente durante uma das aulas que ela não matara no colegial. - O universo pode ser muito bem o sonho de alguém. Se essa pessoa acordar... - ela fez um gesto com as mãos. - Puf. Já era.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Maxwell Watson
Estudante
Estudante
avatar

Mensagens : 257
Data de inscrição : 27/07/2017
Idade : 18
Localização : Windfall/Helhole

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
Itens:

MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   Dom Nov 12, 2017 9:45 pm

Maxwell apenas sorriu para o gesto que Melissa vez, devolvendo o mesmo com um coração que fizera em suas mãos. Ele adorava irritar, adorava provocar e acima de tudo adorava marcar as mentes das pessoas, para que elas nunca se esquecessem que haviam conhecido ele, mesmo que fosse por alguns minutos. Maxwell não desejava deixar sua marca no mundo, não desejava ser lembrado pelos séculos que estavam por vir. Não, ele desejava que as pessoas se lembrassem dele, apenas para que em seus piores momentos elas pudessem se lembrar que havia como ficar ainda pior.

- Bom, fique feliz então, você é especial para mim, Melissa - Ele falou, seu sorriso lupino aumentando com cada palavra que deixava sua boca. Maxwell havia se apegado a Melissa, era extremamente divertido irritá-la, justamente porque ele sabia que aquilo poderia acabar da pior maneira possível, e aquele rapaz adorava brincar com o perigo - Espero que seja essa outra coisa.

Maxwell adorava deixar outras pessoas em dúvida, para ele não havia sensação melhor do que deixar alguém completamente perdido. Fosse no significado de uma frase, ou no que seus pensamentos realmente significavam. Ele era um dos melhores mentirosos existentes, ele conseguia mostrar a verdade para uma pessoa e fazer com que ela duvidasse da mesma, escolhendo a mentira no final das contas. Ainda garoto, Maxwell aprendera uma lição importante: A mentira era muito mais fácil de ser digerida.

- Sabe, isso do universo ser um sonho e nós sermos apenas o pensamento de uma pessoa é justamente o que Satã fala no livro do Mark Twain, O Estranho Desconhecido - Falou Maxwell, coçando sua nuca por um breve momento - '' É só um sonho. Deus, o homem, o mundo, o Sol e a Lua, a imensidão das estrelas, um sonho. As coisas não existem. Nada existe a não ser o vazio e você... Daqui a pouco você vai estar sozinho no espaço sem limites, a vagar suas solidões ilimitadas sem amigo ou companheiro para sempre, pois você continuará a ser um pensamento, o único pensamento existente, e por sua natureza inextinguível, indestrutível. Mas eu, vosso servo pobre, revelei você para si mesmo e te libertei. Sonhe outros sonhos e melhores! '' - Ele citou a longa fala do personagem - É isso que Satã fala, no livro.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Quarto do Maxwell   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Quarto do Maxwell
Voltar ao Topo 
Página 5 de 13Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6 ... 11, 12, 13  Seguinte
 Tópicos similares
-
» Quarto do Orion
» Quarto de Percy
» A (Quarto Raikage)
» Uma noite como outra qualquer
» Os Quadros Gêmeos (Crônica Oficial)

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Windfall City :: Dormitórios :: Dormitório Masculino-
Ir para: